Letras / letra L / Luiz Gonzaga

  1. 1. 17 Légua E Meia - Eu já andei sem parar dezessete légua e meia pra ir no forró dançar Ai, ai, ai, ai, ai, ai eu fui no forró dançar Valeu a pena eu andar dezessete légua e meia Pois Rosinha tava lá Ai, ai, ai, ai, ai,
  2. 2. 3 X 4 (marilu) - Marilu tu bem me dissestes Que eu não aguento ficar aqui não Tô morrendo aos tiquinhos, Marilu Com saudade lá do meu ricão Só de olhar teu instantâneo 3x4 Sinto arrocho no meu coração Se a coisa ape
  3. 3. A Canção do Carteiro - Eu sou um pobre carteiro Mas gosto da profissão Pois trabalho o dia inteiro Assubiando esta canção O meu trabalho é honesto Mesmo sem ser o melhor Se para isso me presto É que há coi
  4. 4. a Carta - Na carta perfumada que deixaste sobre a mesa Tenho a certeza de tua traição Minhas lágrimas caíam teimosas Sobre as folhas cor-de-rosa escritas por tua mão Partiste mas minha alma seguirá
  5. 5. A Cheia De 24 - A cheia de 24 Doutor não foi brincadeira Na correnteza das águas Descia a família inteira Quase não sobra vivente Para contar a história Assim falava mamãe Aquela santa senhora } bis
  6. 6. a Dança Da Moda - No Rio tá tudo mudado Nas noites de São João Em vez de polca e rancheira O povo só pede e só dança o baião No meio da rua Inda é balão Inda é fogueira É fogo de vista Mas dentro da pi
  7. 7. a Dança Da Moda - No Rio tá tudo mudado Nas noites de São João Em vez de polca e rancheira O povo só pede e só dança o baião No meio da rua Inda é balão Inda é fogueira É fogo de vista Mas dentro da pi
  8. 8. a Dança Do Nicodemus - Um certo dia, foi o mar dançar no louro Quércia foi por desaforo, tava boa pra chuchu A maior troça, nesta festa nos fizemos Lá dançava nicodemus, cardeado com pitu Pegava a dama e jogava par
  9. 9. a Feira De Caruaru - A feira de Caruaru Faz gosto da gente ver De tudo que há no mundo Nela tem pra vender Na feira de Caruaru Tem massa de mandioca Batata assada Tem ovo cru Banana, laranja
  10. 10. a Feira De Caruaru - A feira de Caruaru Faz gosto da gente ver De tudo que há no mundo Nela tem pra vender Na feira de Caruaru Tem massa de mandioca Batata assada Tem ovo cru Banana, laranja
  11. 11. A Festa do Milho - O sertanejo festeja A grande festa do milho } bis Alegre igual a mamãe Que ver voltar o seu filho Em março queima o roçado A dezenove ele planta A terra já está molhada Ligeiro o milho
  12. 12. A Letra I - Vai cartinha fechada Não deixa ninguém te abrir À quela casa caiada Donde mora a letra I E diz que de uma cacimba Do rio que verão secou Meus óio chorou tanta mágoa Que hoje sem água
  13. 13. A Ligeira - Ai, de dá, ai de dá A ligeira dá canseira Pra quem não saba dançar Ai, de dá, ai de dá A ligeira só é boa Pra quem sabe apreciar Nhem, nhem, nhem Eu dancei uma ligeira Num forró no
  14. 14. A Moda Da Mula Preta - Eu tenho uma preta Tem sete palmo de altura A mula é descanelada Tem uma linda figura, ai, ai, ai Tira fogo na calçada No rampão da ferradura, ai, ai, ai Com uma morena delicada Na garupa faz figura
  15. 15. A Morte do Meu Avô - Eu era pirritotinho Quando mamãe decretou Você é quem vai vingar A morte do seu avô (bis) Ganhei punhal enfeitado Daquela que me criou Crescí pensando em vingar A morte do meu avô
  16. 16. a Morte Do Vaqueiro - Numa tarde bem tristonha Gado muge sem parar Lamentando seu vaqueiro Que não vem mais aboiar Não vem mais aboiar Tão dolente a cantar Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo Ei, gado,
  17. 17. a Mulher Do Meu Patrão - Eu tenho pena da mulher do meu patrão Muito rica, tão bonita ai meu Deus que mulherão Não tem meninos para não envelhecer Mais nervosa sofre muito por não ter o que fazer No atiço da panel
  18. 18. A Mulher do Sanfoneiro - E a mulher do sanfoneiro Sabe quem é ela? É aquela da panela Do caldo que cheira Lá de baixo da jaqueira No fim do terreiro Onde ajunto biriteiro Que é um Deus dará! Se o cabra pede uma lapad
  19. 19. A Noite É De São João - É São João A noite é de São João Alegria no meu coração } bis E São João Ainda é São João Não adianta fazer confusão Porque Não ver balão no ar Vejo sim Ver quanto foguetão Vej
  20. 20. A Nova Jerusalém - Do trabalho com amor nasceu Um cenário de tempos passados que não morreu Na pedra o homem talhou, sua fé, sua luta brotou E lá no Nordeste, nas terras do agreste Pra sempre ficou Nova Jerus
  21. 21. A Peleja do Gonzagão X Téo Azevedo - Já corrí trecho de mundo Defendendo meu enredo Com a sanfona no peito Não sou homem de ter medo Na peleja do calango Convido Téo Azevedo Calango vem, calango vai } bis Calango fica, cal
  22. 22. A Puxada - Foi puxando nessa vida Que achei uma saída Foi no topo da subida Que cheguei a conclusão No mundo quem não puxou Não se deu, não se arrumou Não foi bom puxador Não foi um bom cristão
  23. 23. a Rede Véia - Eu tava com a Felomena Ela quis se refrescar O calor tava malvado Ninguém podia agüentar Ela disse meu Lundru Nós vamos se balançar A rede veia como foi fogo Foi com nois dois pra lá e
  24. 24. A Triste Partida - Meu Deus, meu Deus Setembro passou Outubro e Novembro Já tamo em Dezembro Meu Deus, que é de nós, Meu Deus, meu Deus Assim fala o pobre Do seco Nordeste Com medo da peste Da fome fe
  25. 25. a Triste Partida - Meu Deus, meu Deus Setembro passou Outubro e Novembro Já tamo em Dezembro Meu Deus, que é de nós, Meu Deus, meu Deus Assim fala o pobre Do seco Nordeste Com medo da peste Da fome fe
  26. 26. a Triste Partida - Meu Deus, meu Deus Setembro passou Outubro e Novembro Já tamo em Dezembro Meu Deus, que é de nós, Meu Deus, meu Deus Assim fala o pobre Do seco Nordeste Com medo da peste Da fome fe
  27. 27. a Triste Partida - Meu Deus, meu Deus Setembro passou Outubro e Novembro Já tamo em Dezembro Meu Deus, que é de nós, Meu Deus, meu Deus Assim fala o pobre Do seco Nordeste Com medo da peste Da fome fe
  28. 28. A Vida de Viajante - Minha vida é andar Por esse país Pra ver se um dia Descanso feliz Guardando as recordações Das terras onde passei Andando pelos sertões E dos amigos que lá deixei Chuva e s
  29. 29. a Vida De Viajante - Minha vida é andar Por esse país Pra ver se um dia Descanso feliz Guardando as recordações Das terras onde passei Andando pelos sertões E dos amigos que lá deixei Chuva e s
  30. 30. A Vida do Viajante - Minha vida é andar Por esse país Pra ver se um dia Descanso feliz Guardando as recordações Das terras por onde passei Andando pelos sertões E dos amigos que lá deixei. Chuva e sol Poeira e c
  31. 31. A Volta Da Asa Branca - Já faz três noites Que pro norte relampeia A asa branca Ouvindo o ronco do trovão Já bateu asas E voltou pro meu sertão Ai, ai eu vou me embora Vou cuidar da prantação A se
  32. 32. A volta da Asa Branca - Já faz três noites Que pro norte relampeia A asa branca Ouvindo o ronco do trovão Já bateu asas E voltou pro meu sertão Ai, ai eu vou me embora Vou cuidar da prantação A se
  33. 33. a Volta Da Asa Branca - Já faz três noites Que pro norte relampeia A asa branca Ouvindo o ronco do trovão Já bateu asas E voltou pro meu sertão Ai, ai eu vou me embora Vou cuidar da prantação A se
  34. 34. Abc Do Sertão - Lá no meu sertão pros caboclo lê Têm que aprender um outro ABC O jota é ji, o éle é lê O ésse é si, mas o érre Tem nome de rê Até o ypsilon lá é pissilone O eme é mê, O ene é nê O efe é
  35. 35. Aboio Apaixonado - Não me chame boiadeiro Que eu não sou boiadeiro não Eu sou um pobre vaqueiro Boiadeiro é o meu patrão Êêê... ê boi... ê boi.. Vou vender o meu gibão Eu não quero mais vaquejar Vou la
  36. 36. Acácia Amarela - Ela é tão linda é tão bela Aquela acácia amarela Que a minha casa tem Aquela casa direita Que é tão justa e perfeita Onde eu me sinto tão bem Sou um feliz operário Onde aumento de sa
  37. 37. Acauã - Acauã, acauã vive cantando Durante o tempo do verão No silêncio das tardes agourando Chamando a seca pro sertão Chamando a seca pro sertão Acauã, Acauã, Teu canto é penoso e faz
  38. 38. Acauã - Acauã, acauã vive cantando Durante o tempo do verão No silêncio das tardes agourando Chamando a seca pro sertão Chamando a seca pro sertão Acauã, Acauã, Teu canto é penoso e faz
  39. 39. Acordo Às Quatro - Acordo às quatro Tomo meu café Dou um beijo na muié E nas crianças também Vou pro trabáio Com céu ainda escuro Respirando esse ar puro Que só minha terra tem Levo comigo Minha fo
  40. 40. Açucena Cheirosa - Quem quiser comprar, eu vendo açucena cheirosa do meu jardim Quem quiser comprar, eu vendo açucena cheirosa do meu jardim Vendo cravo, vendo lírio, não vendo uma rosa que deram pra mi
  41. 41. Adeus a Januário - Ai que saudade, que dor Que eu sinto até agora De um velho e grande amigo Que do mundo foi embora Deus que ilumine os passos Do seu novo itinerário Tão guerreiro,companheiro Conselheiro
  42. 42. Adeus Iracema - Navega Oh! Jangada nesse mar Enfeitado de coqueiros E coberto de luar Navega No Nordeste pela praia Quero ver Itapoã Quero ver minha Atalaia Boa viagem Gogó da Ema Areia preta
  43. 43. Adeus Pernambuco - Oi mano, a saudade é de matá Oi mano, tou maluco pra voltá Adeus Pernambuco A saudade é de matá Adeus Pernambuco Tou maluco pra voltá Deixei lá na porta Da minha choupana Com os
  44. 44. Adeus, Rio - Rio de Janeiro bota o visgo na gente É terra boa pro caboco farriá Eu só não fico porque rosa diz: “oxente Será que Lula já deixou de me amar?” E desse jeito pode ser que o diabo atente mi
  45. 45. Adeus Rio De Janeiro - Rio de Janeiro bota o visgo na gente É terra boa pro caboco farriá Eu só não fico porque rosa diz: “oxente Será que Lula já deixou de me amar?” E desse jeito pode ser que o diabo atente mi
  46. 46. Ai Amor - Ai amor, és cruel Mas teus lábios de mel Dão prazer que compensa Essa ingratidão, essa dor Ai amor, eu pequei Se juntou a teu viço Pra completar teu sabor O meu coração A ti fic
  47. 47. Aí Tem - Eita! Que nega pra vadiar Nega pra rebolar Nega pra remexer De tanto retroceder Nesse burugundum} bis Ela ainda mata um Aqui nesse forró Aí tem Aí tem borogodó Quando eu pegar pe
  48. 48. Algodão - Bate a enxada no chão, limpa o pé de algodão Pois pra vencer a batalha, É preciso ser forte, valente, robusto e nascer no Sertão Tem que suar muito pra ganhar o pãp Poia a coisa lá "né" bri
  49. 49. Alma do Sertão - Ai como é bonito a gente ver Em plena mata, o amanhecer} bis Quando amanhece Até parece que o sertão Com alegria Vai despedindo a escuridão E a passarada Em renovada, tão contente
  50. 50. Alvorada da Paz - Jânio Quadros Tu és um soldado Sentinela da democracia O Brasil foi por ti libertado Reação nacional, valentia Jânio Quadros, a tua bandeira É a Pátria querida a servir Tornar grande
  51. 51. Alvorada Nordestina - Olha o céu mudou de cor Lua se escondeu Sensitiva flor murchou Todo o campo se acendeu Belo horizonte, atrás dos montes O sol nasceu Mais um dia raiou enfim E a esperança vem renasce
  52. 52. Amanhã Eu Vou - Era uma certa vez Um lago mal assombrado À noite sempre se ouvia a carimbanda Cantando assim: Amanhã eu vou, amanhã eu vou Amanhã eu vou, amanhã eu vou Amanhã eu vou, amanhã eu vou A
  53. 53. Amigo Velho - Ô amigo velho, como vai, como passou? Pedi notícia sua, porém você não mandou Ô amigo velho, como vai, como passou? Pedi notícia sua, porém você não mandou Me diga como vai sua distinta fa
  54. 54. Amor Da Minha Vida - Amor da minha vida, tão longe estais de mim Meus olhos te procuram, vocês me torturam Sofro tanto assim Meus dias são tão tristes As noites muito mais E desde que´partistes A amargura exi
  55. 55. Amor Que Não Chora - Lugar que tem chuva, tem felicidade Amor que não chora, não sente saudade Lugar que tem chuva, tem felicidade Amor que não chora, não sente saudade Lugar que tem chuva, tem felicidade
  56. 56. Ana Rosa - Ana Rosa ai que saudade... Tô fingindo de viver Eu com asa eu avoava Na mesma hora eu avoava pra te ver Em dezembro faz um ano Que amargo o meu sofrer E nas contas de saudade Um ano
  57. 57. Apelo Ao Soberano - Se Deus quiser vou me embora pro sertão (2x) pois a saudade me aconselha o coração Manda que eu vá, convidar dona Chiquinha ( 2x ) para ser minha madrinha na fogueira de São João Chegan
  58. 58. Apologia ao Jumento (O Jumento é Nosso Irmão) - É verdade, meu senhor Essa estória do sertão Padre Vieira falou Que o jumento é nosso irmão A vida desse animal Padre Vieira escreveu Mas na pia batismal Ninguém sabe o nome seu Bagre, Bó, Ro
  59. 59. Aproveita Gente - Aproveita gente que o pagode é quente É forró pra toda essa gente se espalhar Êita, coisa boa! Êita, pessoá! Hoje aqui a páia voa vamo gente aproveitar O resfunlengo desse fole não é mole
  60. 60. Aquarela Nordestina - No Nordeste imenso, quando o sol calcina a terra, Não se vê uma folha verde na baixa ou na serra. Juriti não suspira, inhambú seu canto encerra. Não se vê uma folha verde na baixa ou na serra.
  61. 61. Aquilo Bom - Quando eu me encontro com as garotas do Leblon chega a ser aquilo bom aquilo bom é maricota, Mariquita e Marion chega a ser aquilo bom, aquilo bom Tem uma moreninha e tem uma marrom
  62. 62. Aquilo Sim, Que Vidão - Aquilo sim que era vida Aquilo sim, que vidão Aquilo sim que era vida, seu moço A vida lá do sertão Plantava milho, arroz e feijão Pescava de linha, lá no ribeirão Domingo saía no meu
  63. 63. Arcoverde Meu - Eita! Olha aí meu conterrâneo O trem da serra tá chamando Eu também tou nessa aí Alô Vitória Terra da caninha boa Serra das Russas Mas que doce abacaxi Já vou Bezerros Adeus Gravat
  64. 64. Aroeira - Passei um dia pela sombra da aroeira Mas que árvore traiçoeira, veja em que eu fui me meter Fiquei dez dias numa baita comichão Corpo emzambuado desde o imbigo até o dedão Desde esse dia,
  65. 65. As Noites De Junho De Antigamente - Antigamente o céu ficava colorido de balões, Como estrelas a brilhar, Eram mensageiros de perdidas ilusões, Que seguiam seus caminhos sem voltar. Antigamente o céu ficava colorido de balõe
  66. 66. Asa Branca - Quando olhei a terra ardendo Qua fogueira de São João Eu preguntei a Deus do céu, uai Por que tamanha judiação Que braseiro, que fornaia Nem um pé de prantação Por farta d'água perdi meu gado
  67. 67. Asa Branca - Quando olhei a terra ardendo Qua fogueira de São João Eu preguntei a Deus do céu, uai Por que tamanha judiação Que braseiro, que fornaia Nem um pé de prantação Por farta d'água perdi meu gado
  68. 68. Asa Branca - Quando olhei a terra ardendo Qua fogueira de São João Eu preguntei a Deus do céu, uai Por que tamanha judiação Que braseiro, que fornaia Nem um pé de prantação Por farta d'água perdi meu gado
  69. 69. Asa Branca - Quando olhei a terra ardendo Qua fogueira de São João Eu preguntei a Deus do céu, uai Por que tamanha judiação Que braseiro, que fornaia Nem um pé de prantação Por farta d'água perdi meu gado
  70. 70. Asa Branca - Quando olhei a terra ardendo Qua fogueira de São João Eu preguntei a Deus do céu, uai Por que tamanha judiação Que braseiro, que fornaia Nem um pé de prantação Por farta d'água perdi meu gado
  71. 71. Asa branca - Quando olhei a terra ardendo Qua fogueira de São João Eu preguntei a Deus do céu, uai Por que tamanha judiação Que braseiro, que fornaia Nem um pé de prantação Por farta d'água perdi meu gado
  72. 72. Asa Branca/ Volta Da Asa Branca - Quando olhei a terra ardendo Qual fogueira de São João Eu perguntei a Deus do céu, ai Por que tamanha judiação Que braseiro, que fornalha Nem um pé de plantação Por falta d'água perdi meu gado Mor
  73. 73. Asas Da Ilusão - Ah esse meu coração de novo sabe deus onde me levará Apostando tudo nesse amor pôs a mão no fogo e se queimou E hoje sem um pingo de vergonha quer voltar Ah esse meu coração menino não
  74. 74. Assum Preto - Tudo em vorta é só beleza Sol de Abril e a mata em frô Mas Assum Preto, cego dos óio Num vendo a luz, ai, canta de dor (bis) Tarvez por ignorança Ou mardade das pió Furaro os óio do Assum
  75. 75. Assum Preto - Tudo em vorta é só beleza Sol de Abril e a mata em frô Mas Assum Preto, cego dos óio Num vendo a luz, ai, canta de dor (bis) Tarvez por ignorança Ou mardade das pió Furaro os óio do Assum
  76. 76. Assum Preto - Tudo em vorta é só beleza Sol de Abril e a mata em frô Mas Assum Preto, cego dos óio Num vendo a luz, ai, canta de dor (bis) Tarvez por ignorança Ou mardade das pió Furaro os óio do Assum
  77. 77. Baião - Eu vou mostrar pra vocês Como se dança o baião E quem quiser aprender É favor prestar atenção Morena chega pra cá Bem junto ao meu coração Agora é só me seguir Pois eu vou dançar o baião Eu j
  78. 78. Baião - Eu vou mostrar pra vocês Como se dança o baião E quem quiser aprender É favor prestar atenção Morena chega pra cá Bem junto ao meu coração Agora é só me seguir Pois eu vou dançar o baião Eu j
  79. 79. Baião - Eu vou mostrar pra vocês Como se dança o baião E quem quiser aprender É favor prestar atenção Morena chega pra cá Bem junto ao meu coração Agora é só me seguir Pois eu vou dançar o baião Eu j
  80. 80. Baião - Eu vou mostrar pra vocês Como se dança o baião E quem quiser aprender É favor prestar atenção Morena chega pra cá Bem junto ao meu coração Agora é só me seguir Pois eu vou dançar o baião Eu j
  81. 81. Baião Agrário - Um pedaço de terra Uma casinha de taipa É o bastante Com a enxada na mão A gente ganha o pão E vai avante Essa mão calejada, danada Que ainda não cansou Essa pele morena Que o sol q
  82. 82. Baião Da Garoa - Na terra seca Quando a safra não é boa Sabiá não entoa Não dá milho e feijão Na Paraíba, Ceará nas Alagoas Retirantes que passam Vão cantando seu rojão Tra, lá, lá, lá, lá, lá, lá
  83. 83. Baião Da Garoa - Na terra seca Quando a safra não é boa Sabiá não entoa Não dá milho e feijão Na Paraíba, Ceará nas Alagoas Retirantes que passam Vão cantando seu rojão Tra, lá, lá, lá, lá, lá, lá
  84. 84. Baião da Garoa - Na terra seca Quando a safra não é boa Sabiá não entoa Não dá milho e feijão Na Paraíba, Ceará nas Alagoas Retirantes que passam Vão cantando seu rojão Tra, lá, lá, lá, lá, lá, lá
  85. 85. Baião Da Penha - Demonstrando a minha fé Vou subir a Penha a pé Pra fazer minha oração Vou pedir à padroeira Numa prece verdadeira Que proteja o meu baião Penha, Penha Eu vim aqui me ajoelhar
  86. 86. Baião De Dois - Capitão que moda é essa, deixe a tripa e a cuié Home não vai na cozinha, que é lugá só de mulhé Vô juntá feijão de corda, numa panela de arroz Capitão vai já pra sala, que hoje têm baião de doi
  87. 87. Baião Dos Namorados - Quando a moça quer se casar Não reza somente não Ela arranja um namorado E entrega o coração Há sempre um beijo escondido Uma promessa, uma oração Aos namorados queridos Ofereço este
  88. 88. Baião Granfino - Quando chegou pra cidade o menino Já tinha um nome,era Baião Porém agora, ficou tão grã-fino Nem liga pro sertão Ai, ai, Baião, você venceu! Mas no sertão, ninguém lhe esqueceu Ai, ai,
  89. 89. Balaio - Balaio, balaio, balaio Me segure se não eu caio Balaio, balaio, balaio Me segure se não eu caio Essa dança é bem gostosa Mas precisa ter cuidado Que a muié sendo dengosa O “Cabra” fi
  90. 90. Balaio do Veremundo - O Coroné Veremundo Dança ruim mais invento Uma dança que o Salgueiro Cum seu nome batizou O Balaio de Veremundo Tem as minhas de autor Pra você dançá balaio Tem que ficá balançand
  91. 91. Balança a Rede - Balança a rede pro menino não chorar Oi, balança, o menino Sinhá (4x) Eu fui menino tão mimado e manhoso Criado dengoso cresci sem apanhar E minha mãe, se eu choromingava Depressa mandav
  92. 92. Balance Eu - Quando eu tiver com sono, meu amor Balance eu, balance eu, balance eu Quando eu tiver dormindo, meu amor Acorde eu, acorde eu, acorde eu Tanto perto de meu bem Não faltando o seu calor
  93. 93. Balanço Do Calango - Ôi lelê, calango ê Ôi lelê, calango á No balanço do calango Quero ver calangueá O calango vem de Minas Fui eu que mandei buscar Dança velho, dança moço Qualquer um pode dançar D
  94. 94. Baldrama Macia - Comprei um caco chapiado Numa baldrana macia Um conchinilho dos brancos Pra minha besta Rosía Um peitorá de argolinha E uma estrela que brilha Fui dar um passeio em Tupã Só pra ver o
  95. 95. Bamboleado - Mas que ritmo quente Que bamboleado Que tem o maxixe E o samba rasgado Que até faz a gente Só descontrolar Ao som do maxixe A gente enloquece Da vida se esquece Começa a sambar Sa
  96. 96. Bandeira Dois - Essa reza é boa Essa reza é braba Essa reza agrada Quem quiser cantar } bis Essa reza é forte Essa reza ajuda Essa reza é forte Para quem precisar Olerê, lerê Ai Pai Joaquim } bi
  97. 97. Bandinha De Fé - Quanta saudade Daqueles tempos de ouro Quando a bandinha de couro Alegrava o meu sertão Tocando em feira Igreja, renovação Onde quer que a banda fosse Era aquela animação Toca band
  98. 98. Beata Mocinha - Minha santa beata mocinha Eu vim aqui, vim vê meu padrim Meu padrim fez uma viagem, ôi (bis) Deixou Juazeiro sozím Meu Padrim Padre Ciço Foi pro céu vendo o povo sem sorte Pro Senhor foi
  99. 99. Bença Mãe - Bença Mãe De manhã muito cedin Vi meu mano levantar Acender o candeeiro Começou a se arrumar Me dizendo bem baixin Mano eu vou viajar Tu toma conta de mãe Diz pra ela não chorar
  100. 100. Bicho, Eu Vou Voltar - Lá, lá, lá, lá, lá, lá Lá, lá, lá, lá, lá, lá Bicho, com todo respeito Dá licença, eu vou voltar Ô desafio pai d’égua Pra cabra macho enfrentar Falei com Carmélia e Sivuca Pro Zé Dantas
  101. 101. Bié Bié Brasil - Bié bié Brasil Bye bye Brasil, adeus Tanto faz se eu cantar em português ou inglês Pois se mudou foi Deus, foi Deus Salve a maravilha eletrônica Que já resolveu a fome crônica Mares
  102. 102. Boca De Caieira - Na prata da Paraíba O forró começa cedo E o miolo do foguedo É de nove pras dez Lá nesse dia Brinca toda a vizinhaça Todo mundo se balança } bis Todo mundo arrasta os pés Martim Pelad
  103. 103. Boca De Forno - Boca de forno, forno Tirando bolo, bolo Jacarandá dá Onde eu mandar, vou E se não for? E se não for? Apanha Remão, remão Quem me trouxer primeiro A chinela de Rosinha Remão, remã
  104. 104. Bodocongó - Eu fui feliz, lá no Bodocongó, Com meu barquinho, de um remo só, Quando era lua, com meu bem, remava atoa, Ai, ai, ai, que vida boa, Lá no meu Bodocongó. Bodó, bodó, bodó, bodó, congó,
  105. 105. Boi Bumbá - Êi boi, êi boi Ê boi de mangangá } bis Quem não tem chuculatêra Não toma café nem chá Não toma café nem chá } bis Não toma café nem chá Ê boi, êi boi Ê boi do Ceará } bis Muié segu
  106. 106. Boiadeiro - Vai, boiadeiro, que a noite já vem Guarda o teu gado E vai pra junto do teu bem De manhãzinha quando eu sigo pela estrada Minha boiada pra invernada eu vou levar São dez cabeças, é muito pouco, é
  107. 107. Boiadeiro/ Cigarro De Paia/ - Boiadeiro ( Klécius Caldas - Armando Cavalcanti) Vai boiadeiro que a noite já vem Guarda o teu gado e vai pra junto do teu bem De manhazinha quando eu sigo pela estrada Minha boiada pra invernada e
  108. 108. Bom Pra Eu - Quando eu entrei no baile o coração bateu eu piniquei o olho ela correspondeu, não quero me mudar que nem cera no breu. Aqui nesse forró só vai ser bom pra eu. (2x) vai ser bom pra eu, vai
  109. 109. Braia Dengosa - O maracatu dança negra E o fado tão português No Brasil se juntaram Não sei que ano ou mês Só sei que foi Pernambuco Quem fez essa braia dengosa Quem nos deu o baião Que é dança faceira
  110. 110. Buraco De Tatu - Não bote a mão no buraco do tatu, Que é muito perigoso, e é preciso ter cuidado Lá dentro pode ter uma cascavel, ou surucucu esperando com o bote armado Não bote a mão no buraco do tatu Que
  111. 111. Cabeça Inchada - Eu tou doente, morena Doente eu tou, morena } bis Cabeça inchada, morena Ôi, ôi, ôi Ai morena Moreninha, meus amô Você diz que me namora, morena Mentira, morena Agora morena, namor
  112. 112. Cabocleando - No semblante Ele tem a verdade O esforço se vê na mão O sorriso é coisa rara No caboclo do meu sertão Ele enfrenta o tempo disposto Não conhece a recessão Ele briga com a natureza
  113. 113. Caboclo Nordestino - Caboclo humilde, roceiro Disposto, trabalhador No remexer da sanfona Escuta este cantador Que no baião fala ao mundo } bis Teu grandioso valor E do caboclo que vive Com a enxada na mão Trabal
  114. 114. Cabra da Peste - Eita! Sertão do Nordeste Terra de cabra da peste Só sertanejo arrizéste Ano de seca e verão Toda dureza do chão Faz também duro O homem que vive no sertão Tem cangaceiro Mas tem romei
  115. 115. Cacimba Nova - Fazenda Cacimba Nova Foi bonito teu passado Ainda estás dando a prova Pelo o que vejo ao teu lado Concorra ao grande pendido Carro velho, esquecido Pelo sol todo encardido Sentindo sem
  116. 116. Café - No meu tempo Ninguém fazia fé Café! Hoje em dia Não chega pra quem qué Café! Antigamente O café num dava preço Isso era no começo No Brasil do Imperador Mas hoje em dia Tá na
  117. 117. Cajueiro Velho - Naquele cajueiro velho Com um canivete Desenhei meu coração Escreví nossas iniciais Isto a gente faz cheio de paixão Com uma flecha atravessada Ficou bem gravata Lá no cajueiro Histór
  118. 118. Calango Da Lacraia - Eu vou te contar um caso Você ri que se escangaia A mulher do Zé Maria Foi dançar, caiu a saia Calangotango Que o calango da lacraia Meu cabrito tá na corda Meu cavalo tá na baia
  119. 119. Calango Da Lacraia - Eu vou te contar um caso Você ri que se escangaia A mulher do Zé Maria Foi dançar, caiu a saia Calangotango Que o calango da lacraia Meu cabrito tá na corda Meu cavalo tá na baia
  120. 120. Caminhos Do Coração - Há muito tempo que eu saí de casa Há muito tempo que eu caí na estrada Há muito tempo que eu estou na vida Foi assim que eu quis, e assim eu sou feliz Principalmente por poder voltar A t
  121. 121. Cana Só De Pernambuco - Eu sou do Norte Rumei para São Paulo Fui mudar de sorte Com o fole na mão Corní de tudo Comida italiana Bife parmegiana Canelão de macarrão Provei também A tal de passarela Bebí d
  122. 122. Canaã - Por que cantar tanta tristeza? Me pergunta com firmeza Gente alegre de riqueza Que Deus quiz pro lá de cá Pra essa falsa realeza Que nem sabe com certeza Que tá tem uma princesa Vou de
  123. 123. Cananã - Eita! È o sertão que eu tenho Almajarra do engenho }bis E um bom canaviá Eita! O carreiro carreando E o seu carro cantando A canção do canana No meu sertão Não tem choro, não tem
  124. 124. Cantarino - Volto agora a minha terra Volto agora ao meu sertão Trago pra minha gente Trago amor no coração Quero ouvir a Asa Branca Contemplar o amanhecer Quero amar este recanto Terra que me f
  125. 125. Cantei - Cantei Que quase rasgo a boca Toquei Que a sanfona ficou rouca E andei Os quatro cantos do Brasil E rezei Só de oração foi quase mil Pra ver meu sertão ser ajudado Pra ter nossos fi
  126. 126. Cantiga De Vem-vem - Vivo sempre escutando A cantiga de vem-vem Quando ouço ele cantando Penso ser você que vem Fico de ôio no caminho Por fim não chega ninguém Ai, ai, ai Por fim não chega ninguém } bis
  127. 127. Canto do Povo - Quero cantar pro meu povo Sanfona não vai calar Quero alegria chegando Tristeza não vai ficar Quero ver tudo verdinho Toda esperança brotar Cheiro da terra molhada Um risco em cada o
  128. 128. Canto do Sabiá - Canto Como canta o sabiá Canta preso na gaiola } bis Porque não sabe chorar Oh! Minha viola amiga Esta modinha que eu canto Tem roupagem de cantiga Mas seu motivo é de pranto Há
  129. 129. Canto Sem Protesto - Pode dizer que eu não presto Que não presta o meu cantar Meu canto não tem protesto } bis Meu canto é pra alegrar Quem tem ódio não canta E nem quero ouvir cantar Muita vez a raiva é tant
  130. 130. Capim Novo - Nem ovo de codorna, Catuaba ou tiborna Não tem jeito não Não tem jeito não Amigo véio pra você Tem jeito não Amigo véio pra você Tem jeito não, não, não Esse negócio de dizer
  131. 131. Capital do Agreste - Quem conhece o meu Nordeste Certamente há de saber Que Caruaru, de bonito Há cem anos veio nascer De fazenda Cururu Povoado se tornou Foi crescendo, foi crescendo E à Vila, logo cheg
  132. 132. Capital Do Agreste (caruaru) - Quem conhece o meu Nordeste Certamente há de saber Que Caruaru do bonito, há cem anos veio nascer Da fazenda Cururu, povoado se tornou Foi crescendo, foi crescendo E a vila logo chegou João Vieira
  133. 133. Capitão Jagunço - Capitão, Capitão A patente do meu nome Tem valimento Mas só Deus dá a salvação Só Deus dá a salvação Lá no meu sertão Tem um bem dito que diz Chegou Judas na frente das tropas Traz
  134. 134. Carapeba - Êi, lá vem esquema muié Ê som, é gente, é vida, é pó Êi, lá vem esquenta muié Do meu sertão Carapeba Bandinha quente Abrindo frente Alegrando vai Pife, pratos, tarol, zabumba É t
  135. 135. Cartão De Natal - Ouvindo os sinos de Deus Repicando na matriz Para você e os seus Peço um Natal bem feliz Blem, blem, blem Blem, blem, blem Um ano novo afortunado Venturoso e abençoado Tão ditosa o
  136. 136. Casa De Caboclo - Vancê tá vendo Essa casinha simplisinha Toda branca de sapê Diz que ela véve do abandono Não tem dono E se tem, ninguém não vê Uma roseira Cobre a banda da varanda E num pé de camb
  137. 137. Casamento Atrapaiado - Mariquinha foi, foi ver Mariquinha foi, foi lá Mariquinha foi dizer Que o noivo da Rosinha }bis Não podia se casar Seu Vigário perguntou Mariquinha respondeu Seu Vigário, esse homem
  138. 138. Casamento Improvisado - Falado: Quem quisé roubá moça pra casá, que vá fazer o serviço sozinho. Num mande ninguém no seu lugá, não! Pra num acontecer o que aconteceu com Mane de Sá Firmina, Ah! Ah! Eu bem que andava qu
  139. 139. Cavalo Crioulo - Sob a topada da pisada, galopada, percorrendo meio mundo. Vai baixeiro, vai ligeiro, vai formoso, vai fogoso, onde chegar vai. É uma força que se lança que avança sobre o peito ventania.
  140. 140. Cego Aderaldo - Quem a paca cara compra Paca cara pagará } bis Oh! Violeiro do mundo Dêem-me atenção de um segundo Pra meu lamento profundo Que hoje decanto o retrato Um grande vulto do mato Mato de
  141. 141. Chá Cutuba - Sandoval que chá é esse que tu bebe? Sandoval que chá é esse que tu bebe? É chá forte, chá do Norte, Chá Cutuba De raiz, de Cabriúva e Catolé Algaroba, Pique Doce, Macaúba É Porrete, Dor
  142. 142. Chamego - O chamego dá prazer O chamego faz sofrer O chamego às vezes dói Às vezes não O chamego às vezes rói O coração Todo mundo quer saber O que é o chamego Ninguém sabe se ele é bra
  143. 143. Chapéu De Couro E Gratidão - Aquela sanfona branca Aquele chapéu de couro... Como é bonito Benito Quem é poeta e que ver Como é bonito Benito Poetas como você A minha sanfona branca Cor da paz do sonhador Sonha q
  144. 144. Chico Valente - No interior das Alagoas Num lugar prá lá de quente } bis Pro lugar ficar pior Nasceu Chico Valente Desde menino sempre foi danado Deixava o povoado sempre em confusão Na escola não foi
  145. 145. Chofer De Praça - Juntei dinheiro quase um ano inteiro, Entrei pra escola para ser chofer, Dessa maneira, sem fazer besteira, Tirei a carteira, butei meu boné, Bantendo pino sigo o meu destino Caminhando par
  146. 146. Chorei Chorão - Chorei, chorei, chorei, chorão Chorei sem ser chorão Deixei o amor lá no sertão Por que não chorar, não? Se lá ficou meu coração Por que não chorar, não? Amor é coisa que vem à toa A gente gosta,
  147. 147. Choromingô - Quando ela foi simbora Meus óio coromingô } bis Mas não foi judiação Pruquê os dela amarelo Ó menina do sertão Nós chorô foi de amor Guardo o teu aniversário Pra mandar um telegrama
  148. 148. Chuculatera - Chuculatêra frevendo De café cheínha ao meio Me dê dois toes de conversa, morena E baixe a saia dos joêio Que o povo que tá por perto } bis Fala muito e acha feio Meu bem se eu subí eu
  149. 149. Cidadão - Tá vendo aquele edifício moço Ajudei a levantar Foi um tempo de aflição Eram quatro condução Duas prá ir, duas prá voltar Hoje depois dele pronto Olho prá cima e fico tonto Mas me vem u
  150. 150. Cidadão De Caruaru - Caruaru, obrigado Caruaru Se tou no Norte, se tou no Sul } bis Nunca me esqueço de Caruaru Sou pernambucano Do sertão, cabra da peste Já cantei por todo agrete Já cantei por todo agret
  151. 151. Cidadão Sertanejo - Um pilão de pau de baraúna Um plantio verde no girau Um a rede branca na varanda Um terreiro e um lindo roseiral Corredor de cerca bem batida Levar você do lugarejo Ao lindo rancho de
  152. 152. Cigarro De Paia - Meu cigarro de paia Meu cavalo ligeiro Minha rede de malha Meu cachorro trigueiro Quando a manhã vai clareando Deixo a rede a balançar No meu cavalo vou montando Deixo o cão pra vigiar Cendo um cigarr
  153. 153. Cigarro De Palha - Meu cigarro de palha, Meu cavalo ligeiro, Minha rede de malha, Meu cachorro trigueiro. Quando a manhã vai clareando, Deixo a rede a balançar, No meu cavalo vou montando, Deixo o cão
  154. 154. Cintura Fina - Minha morena, venha pra ca Pra dançar xote, se deita em meu cangote E pode cochilar Tu es mulher pra homem nenhum Botar defeito, por isso satisfeito Com você eu vou dançar Vem ca, cintura fin
  155. 155. Cintura Fina - Minha morena, venha pra ca Pra dançar xote, se deita em meu cangote E pode cochilar Tu es mulher pra homem nenhum Botar defeito, por isso satisfeito Com você eu vou dançar Vem ca, cintura fin
  156. 156. Cintura Fina - Minha morena, venha pra ca Pra dançar xote, se deita em meu cangote E pode cochilar Tu es mulher pra homem nenhum Botar defeito, por isso satisfeito Com você eu vou dançar Vem ca, cintura fin
  157. 157. Cirandeiro - Ô cirandeiro, ô cirandeiro ó A pedra do teu anel Brilha mais do que o sol } bis A ciranda via estrelas Caminhando pelo céu É o luar da lua cheia É o farol de Santarém Não há lua nem estrelas
  158. 158. Coco-xeem - Tome intendênça No coco muié É coco xêem Feito pra dançar Tome intendênça No coco muié Tome intendênça no côco E vamo côco vadiar Olhe as cadeira Dessa nega bole bole Que parec
  159. 159. Cocotá - De manhã muito cedinho Lá vou eu para o meu banho de mar Visto o short, sai correndo No caminho é só dizendo Praia boa é Cocotá Pulo pra lá e pra cá Não me canso Sou forte que nem Sa
  160. 160. Cocotá - De manhã muito cedinho Lá vou eu para o meu banho de mar Visto o short, sai correndo No caminho é só dizendo Praia boa é Cocotá Pulo pra lá e pra cá Não me canso Sou forte que nem Sa
  161. 161. Começaria Tudo Outra Vez - Começaria tudo outra vez, se preciso fosse meu amor A chama no meu peito ainda queima, saiba, nada foi em vão A cuba-libre da coragem em minha mão A dama de lilás me mechucando o coraçã
  162. 162. Comício do Mato - Falado: Atenção pessoal, muita atenção. Vai usar da palavra, o maior o candidato do sertão: João Cotó! É o maior! . Uh! Uh! Trabalhadores do sertão! Eu vos prometo casa, comida, e baião. Linforme n
  163. 163. Contrastes De Várzea Alegre - Mas diga moço de onde você é? Eu sou da terra que de Mastruz se faz café Meu amigo eu sou da terra De Zé Felipe afamado, Onde o bode era marchante E Jesus foi intimado. Sou da terra d
  164. 164. Conversa De Barbeiro - Eu sou barbeiro do avental bem limpo As oito e meia eu começo o trabalho Senta o primeiro não há privilégio Seja o Ribeiro seja o seu Carvalho Limpo a navalha, desinfeto tudo Molho o pincel
  165. 165. Coração Molim - Meu coração é feito de manteiga de pudim. Molim, molim, molim, molim. Já falei pra esse sujeito pra não me deixar assim. Molim, molim, molim, molim. Minha vida é bebê cana na mesa de um boteq
  166. 166. Coraçao Molin - Coração Molim informe o(s) compositor(es) Meu coração é feito de manteiga ou de pudim (molim, molim, molim, molim) Já falei pra esse sujeito pra não me deixar assim (molim, molim, molim,
  167. 167. Coronel Pedro do Norte - Coroné Pedro do Norte É homem forte Coroné do bigodão Amigo do amigo Inimigo do inimigo Dizendo sim é sim Dizendo não é não Coroné tava danado Aperreando com a nova geração Dizia el
  168. 168. Corrida De Mourão - Meu sertão tem futebol, tem samba tem farinhada Leilão, reizado e Novena Mai nada disso me agrada Meu Fraco é Cavalo e Gado Cantoria e Vaquejada! Pra mim o maor Cinema é quando eu vou
  169. 169. Corridinho Canindé - Zig zig bum Você pode me ganhar Zig zig bum Você pode me bater Zig zig bum Mas depois não toma pé Se tiver que bailar Um corridinho Canindé Zig bum Você pode me bater Zig zig bum Você pode
  170. 170. Cortando Pano - Errei no corte, seu Zé Marino Peço desculpas pelo meu engano Sou alfaiate do primeiro ano Pego na tesoura e vou cortando o pano Ai, ai, que vida engrata O alfaiate tem Quando ele erra,estraga o p
  171. 171. Crepúsculo Sertanejo - Inda é bonito esse meu sertão Seja inverno ou seja verão O sol se esconde lá pro trás da serra Anunciando que acabou-se o dia Mas nasce a lua Beijando o verde mar O mar quem pede Pra uma cançã
  172. 172. Creuza Morena - Vou me embora desta terra Pra melhorar minha sorte Um dia eu voltarei, ai À Ingazeira do Norte Creuza, espere por mim Se meu amor merecer Eu voltarei para o ano, morena Pra me casar
  173. 173. Dá Licença Pra Mais Um - Se é de pai pra filho De filho para pai De sobrinho pra tio Alguma coisa sai Então vou por aí Por esse mundo vou Gozando essa herança Do meu tio e do vovô } bis Se é mal de família
  174. 174. Danado De Bom - Tá é danado de bom Tá danado de bom meu compade Tá é danado de bom Forrozinho bonitinho, Gostosinho, safadinho, Danado de bom Olha o natamira na zabumba O zé cupira no triângulo E mar
  175. 175. Dança do Capilé - Das Dores, pegue o passo Cuidado com o meu pé Não pise o meu coturno Que eu comprei pro Capilé } bis Pra se dançar o capilé Precisa jeito O capilé é dança séria de respeito Do pei
  176. 176. Dança Mariquinha - Dança, dança, Mariquinha Para o povo apreciar Essa boa mazurquinha Que pra você vou cantar Ouça, meu bem, A sanfona tocar Quitiribom, quitiribom Toca no baixo desse acordeom Quitiribom, quitiribom Qu
  177. 177. Dança, Mariquinha - (Primeira Gravação de Luiz Gonzaga como cantor) Dança, dança, Mariquinha Para o povo apreciar Essa boa mazurquinha Que pra você vou cantar Ouça, meu bem, A sanfona tocar Quitiribo
  178. 178. Daquele Jeito - Eu não sabia Que a Maria me amava Eu nunca notei, eu nunca notei Também dizia Que não me apaixonava E me apaixonei, e me apaixonei } bis Mas hoje eu sei que Maria Tá daquele jeito
  179. 179. De Fiá Pavi - Hoje tem forró mais cedo, forró como eu nunca ví Tem quadrilha pau de sebo, violeiro desafio Sanfoneiro forrozeiro, têm bandinha de bifitri Forró quando é gostoso eu entro de fiá pa
  180. 180. De Juazeiro a Crato - Ô Maria pegue o jegue Bota a cangáia ligeiro Bote os trem no caçuá } bis E vamo pro Juazeiro De Juazeiro a Crato É romeiro só De Crato a Bodocó É romeiro só De Salgueiro a Cabro
  181. 181. De Olho No Candeeiro - Eu hoje vou Ficar perto do candieiro De olho aberto no candieiro Pra ninguém soprar Não vou ficar Feito a ano passado Naquele escurão danado Bêbo em pé e sem mulher } bis Lá eu fiq
  182. 182. De Teresina a São Luís - Peguei o trem em Teresina Pra São Luiz do Maranhão Atravessei o Parnaíba Ai, ai que dor no coração O trem danou-se naquelas brenhas Soltando brasa, comendo lenha Comendo lenha e soltan
  183. 183. Dedo Mindinho - Ai, ai, ai amor Eu acho que vou morrer Meu coração tá cum bichinho } bis Danadinho, danadinho pra roer Meu dedo mindinho Tá me dizendo Que você com outro amor Tá me enganando Não s
  184. 184. Deixa a Tanga Voar - Zé matuto foi a praia, só pra ver como é que é Mas voltou ruim da bola de ver tanta rabichola nas cadeira das muié (2X) Zé matuto matutou, matutou e escreveu pra Clodovil Ele logo respostou,
  185. 185. Deixe O Rio Desaguar - A água sai de cabrobó Parnamirim, salgueiro Até jati Deixe o rio desaguar doutor Pra acabar Com o sofrimento daqui O são francisco Com sua transposição No meu nordeste O progresso vai chegar Se é que
  186. 186. Dengo Maior - Nunca houve dengo igual, Se já houve eu não sei Como então te querer mal, Se entre nós o bem foi rei... Por mil coisas que me deste, Te agradece a minha dor, Que o bom deus te de em do
  187. 187. Depois Da Derradeira - A fogueira é era mim Mas a fumaça era em você O Sereno tá no fim Só você chora por mim E eu não choro por vc Lá no verde do capim Lá você pode até amanhecer Mas a flor do meu jardim M
  188. 188. Derramaro O Gái - Eu nesse côco num vadeio mais Apagaro o candeeiro, derramaro o gai (Côro) (4x) Apagaro o candeeiro, derramaro o gái Coisa boa nesse escuro já sei que num sai Já não tão mais respeitando nem e
  189. 189. Derramaro o Gai - Eu nesse côco num vadeio mais Apagaro o candeeiro, derramaro o gai (Côro) (4x) Apagaro o candeeiro, derramaro o gái Coisa boa nesse escuro já sei que num sai Já não tão mais respeitando nem e
  190. 190. Desse Jeito Sim - Desse jeito sim Desse outro jeito não (bis) Aperta na cintura Mas cuidado com essa mão Tu cum essa mão boa Fazendo danação Só quer dançar No escuro do salão Vamo pro quilário Don
  191. 191. Dezessete e Setecentos - Eu lhe dei vinte mil réis Prá pagar três e trezentos Você tem que me voltar Dezesseis e setecentos! Dezessete e setecentos! Dezesseis e setecentos!... Mas se eu lhe dei vinte mil réis Prá pa
  192. 192. Dezessete Légua E Meia - Eu já andei sem parar dezessete légua e meia Pra ir num forró dançar,ai, ai, ai, ai, eu fui num Forró dançar Valeu a pena eu andar dezessete légua e meia Pois rosinha tava lá, ai, ai, ai, ai,
  193. 193. Dia De São João - Todo dia de São João (bis) Traz saudade do sertão Há tanto tempo Que eu não vejo a minha gente Meu Pernambuco Todo doidinho pra te ver A minha casa Meu gibão, minha cabocla Meu pé de
  194. 194. Dia Dos Pais - Peço a Deus Que não inventem Dia dos Pais no sertão }bis Aqui o pai tem o fío Quem tem dois Tem uma porção No sertão dá-se uma encrenca Isso lá não presta não Fío lá nasce é penca
  195. 195. Diz Que Vai Virar - Quero estar bem acordado Quando o povo despertar Pra sair com ele à Praça Em meio a sua massa Espero que pra cantar Na frente de peito aberto Vou com ele, meu senhor Passo a passo, b
  196. 196. Diz Que Vai Virar - Quero estar bem acordado Quando o povo despertar Pra sair com ele à Praça Em meio a sua massa Espero que pra cantar Na frente de peito aberto Vou com ele, meu senhor Passo a passo, b
  197. 197. do Lado Que Relampeia - Do lado que relampeia Do lado que a chuva vem Ao vento que vem de lá Traz notícia que meu bem Se ela está dormindo agora Ou se de saudade chora Como eu choro também Que tem seu amor
  198. 198. Documento De Matuto - Sol escaldante A terra seca E a sede de lascá Sem ter jeito prá vivê Com dez fío prá criá Foi por isso seu moço Que eu saí em busca De outro lugar E com lágrimas nos óio Eu deixei m
  199. 199. Dona Vera Tricotando - Dona Vera, quando moça Foi bonita, foi dengosa Foi catita Mas não soube aproveitar Levava a vida em casa Tricotando, tricotando Tricotando, tricotando Sem sair pra namorar Mas pass
  200. 200. Doutor do Baião - Onde Tá meu grande irmão Onde e que tá Quanto tempo, que saudade Que você me dá Quanta falta está fazendo, irmão Ao nosso baião Tudo que você criou Que você deixou Inda pedem pra e
  201. 201. É Sem Querer - É por amor Que agente vive a sofrer É sem querer Que a gente sofre por amor O meu amor Eu dediquei só a você E foi você Quem não quis mais o meu amor É sem querer Que a gente sen
  202. 202. É Sempre Assim - É sempre assim me deixa louco e derrepente vai embora faz o que quer com a minha vida e joga fora como se o tempo fosse um lenço de papel. Me faz sofrer sofre tambem porque o amor é uma loucura por ma
  203. 203. Engabelando - A gente se namora Desde o tempo de criança Ainda guardo na lembrança Quando a gente se via Era aquela agonia Me pegue e me toque Até amanhecer o dia Essa alegria Ainda é do mesmo j
  204. 204. Engenho Massangana - Ouví dizer Que o Engenho Massangana Já faz três anos Que não vira, não mói É com tristeza Que eu digo a vocês Tristeza essa Que maltrata e que dói Faz muito mais Faz muito mais,
  205. 205. Erosão - Ainda hei de ver um dia A minha terra sem a praga da erosão Ai! Quem me dera se eu pudesse Se Deus me desse uma atenção E ajustasse todo o povo No mutirão para acabar com a erosão Aind
  206. 206. Erva Rasteira - Erva rasteira, erva rasteira Erva rasteira Nasceu pra ser pisada Nasce pra ser pisada Nasce e cresce E morre bem embaixo Mas o homem Que é homem de valor Jamais se propõe A ser capacho É covarde aq
  207. 207. Erva Rasteira - Erva rasteira, erva rasteira Erva rasteira Nasceu pra ser pisada Nasce pra ser pisada Nasce e cresce E morre bem embaixo Mas o homem Que é homem de valor Jamais se propõe A ser capacho É covarde aq
  208. 208. Espere Por Mim - Espere por mim, morena Espere que eu chego já O amor por você morena Faz a saudade me apressar Espere por mim, morena Espere que eu chego já O amor por você, morena Faz a saudade me
  209. 209. Estrada De Canindé - Ai, ai, que bom Que bom, que bom que é Uma estrada e uma cabocla Cum a gente andando a pé Ai, ai, que bom Que bom, que bom que é Uma estrada e a lua branca No sertão de Canindé Artomo
  210. 210. Estrada Do Caninde - Ai, ai que bom, que bom, que bom que é Uma estrada e uma cabocla uma gente andando a pé Ai, ai que bom, que bom, que bom que é Uma estrada e a lua branca no sertão de canindé Automové lá nem se sabe s
  211. 211. Estrela De Ouro - Reinado, coroa Tudo isso o baião me deu Estrelas de ouro No meu chapéu Roupa de couro e gibão Como um milagre caído do céu Fizeram-me o rei do baião Ainda me lembro do tempo Que a gente Va
  212. 212. Eterno Cantador - Sanfona, chapéu e gibão É o retrato desse meu sertão De sol a sol Por todos cantos e lugares Vou perseguindo este destino meu Sou cantador Que faz da dor de seus pezares Uma lição de
  213. 213. Eu E Meu Fole - A tradição Desse meu fole velho É conservada na alma do povo Batendo junto na nossa raiz Para fronteiras de um mundo novo Eu e me fole Pela vida fora Atravessando duas gerações As
  214. 214. Eu E Minha Branca - Falado: - Seu Luiz! Deixe eu dar uma voltinha comessa sua branca maravilhosa! - Oxente! Isso é conversa! Ela é muito pesada pra você... - Deixa disso, home! Ela é jeitosa... leitosa...macia...gos
  215. 215. Eu Me Enrabicho - O cabra bom no fole Na latada, no capricho Eu me enrabicho, eu me enrabicho (bis) Uma nega boa no pé Vige! Como eu me enrabicho Não latada, no capricho Eu me enrabicho, eu me enrabicho
  216. 216. Eu Sou do Banco - É que o matuto deu de garra dos papéis E foi bater no banco de juazeiro Tirou dinheiro e comprou cinco vaquinhas E para tanto contratou logo um vaqueiro. O tangedor montou logo um alazão
  217. 217. Eu Vou Cortando - Eu vou (cortando pano) Eu vou (cortando pano) Eu vou (cortando pano) Eu vou (cortando pano) Arreda, arreda, arreda Que meu bloco vai passando De porta-estandarte Vem a filha de Germa
  218. 218. Eu Vou Pro Crato - Eu vou pro Crato Vou matar minha saudade Ver minha morena Reviver nossa amizade Eu vou pro Crato Tomar banho na nascente Na subida do Lameiro Tomo uns trago de aguardente Eu v
  219. 219. Faça Isso Não - Quem eu amo não me ama Nem liga Finge até que não me vê Vou me embora pra bem longe Pra ninguém me ver sofrer Quem eu amo não me ama Nem liga Finge até que não me vê Vou me
  220. 220. Facilita - Comadre Joana sempre reclamou Da minissaia que a filha tem O namorado se invocou também E certo dia pra ela falou: Tua saia, Bastiana, termina muito cedo Tua blusa, Bastiana, começa muito t
  221. 221. Farinhada - Tava na penera Eu tava penerando Eu tava de namoro Eu tava namorando Na farinhada Lá na serra do Teixeira Namorei uma cabocla Nunca vi tão feiticeira A meninada Descascava a m
  222. 222. Faz Força Zé - Viva o forró de Zé Lagoa!!! Ra, raí!!! É hoje!!! Quem quiser vida folgada de viver sem trabalhar que procure moça rica ou butija pra arrancar tirar sorte grande para se arrumar Oi
  223. 223. Feijão Cum Côve - Ai que será? Tenho pratando Muita côve no quintá Ai o que será? Feijão com côve Que talento pode dá? } bis Cadê a banha? Pra panela refogá Cadê açúcar? Pro café açucara Cadê
  224. 224. Feira De Caruaru - A feira de Caruaru Faz gosto da gente ver De tudo que hai no mundo Nela tem pra vender Na feira de Caruaru Tem massa de mandioca Batata assada Tem ovo crú Banana,laranja e manga Bat
  225. 225. Feira De Gado - Companheiro, esse gado tá enfadado, Vamo aproveitar essa sombra aqui, embaixo desse pé-de-pau? Vame'mbora véi Ê gado, Mundo novo Adeus Adeus minha amada Eu vou pra feira de Sant'a
  226. 226. Festa - Sol vermelho é bonito de se ver Lua nova no alto, que beleza Céu de azul dem limpinho, é natureza Em visão que tem muito prazer Mas o lindo prá mim é céu cinzento Com clarão entoando o seu ref
  227. 227. Festa - Sol vermelho é bonito de se ver Lua nova no alto, que beleza Céu de azul dem limpinho, é natureza Em visão que tem muito prazer Mas o lindo prá mim é céu cinzento Com clarão entoando o seu ref
  228. 228. Festa De Santo Antônio - A festa de Santo Antônio Em barbalho é de primeira A cidade toda corre Prá ver o pau da bandeira } bis Olha quanta alegria, que beleza A multidão faz fileira, hoje é dia Vamos buscar o
  229. 229. Festa Napolitana - Me xingue de cá Me xingue de lá É fígaro cá É fígaro de lá Beba vinho, coma pizza Mais não deixe de pular Quando em Nápoli eu cheguei Namorei uma italiana E dancei a tarantela Nu
  230. 230. Festa No Céu - Quero ver soltar foguete Quero ver subir balão Até no céu, a festa É noite de São João No terreiro tem fogueira Tem sanfona no salão Vão furar a bananeira Prá fazer adivinhação Fes
  231. 231. Firim, Firim, Firim - Firim, firim, firim Assim é que toca o sanfoneiro Firim, firim, firim A gente dança no terreiro O baile lá na roça Agrada mesmo assim Embora o sanfoneiro Só toque firim, firim, firim Eu vou todos os
  232. 232. Flor do Lírio - Já viram A flor do lírio como é linda Linda, linda Pois bem os olhos dela São mais lindos Muito mais ainda } bis Eita! Que emoção danada Que eu sinto por esta mulher Sabendo desse
  233. 233. Fogo do Paraná - José Paraíba Seu Zé das Crianças Foi pro Paraná Cheio de esperanças Levou a muié E seis barrigudinhos Pedro, Juca e Mane Severino, Zefa e Toínho No norte do Paraná Todo serviço e
  234. 234. Fogo Pagou - Fogo Pagou Teve pena da rolinha que o menino matou Teve pena da rolinha que o menino matou Mais depois que torrou a bichinha, comeu com farinha...gostou Mais depois que torrou a bichinh
  235. 235. Fogo Sem Fuzil - Eu esse ano Vou me embora pro sertão Pra dançar pelo São João Farriar com mais de mil Ver o velhotes Atirar de granadeiro E a moçada no terreiro Tirar fogo sem fuzil A meninada a b
  236. 236. Fogueira de São João - Na fogueira de São João Eu quero brincar Quero soltar meu balão E foguinhos queimar Seu Januário Venha ser o meu parceiro Não esqueça da sanfona Para animar o terreiro Traga a famia Que nós
  237. 237. Fole Danado - Canta o galo no poleiro e a lua bonita se esconde No fininho sanfoneiro e o baixo no grosso responde Dança velha mais dança menina, Cintura bem fina pra gente abraçar Dança velha mai
  238. 238. Fole Gemedor - Meu fole véio gemedor Me faz lembrar Um véio amor Meu fole véio gemedor O teu gemido Aumenta mais a minha dor } bis Meu pé de serra Meu Novo Exu Onde eu dançei Tanto forró Danç
  239. 239. Forró da Miadeira - Esse tocador é uma miadeira Não sai dessa besteira Só sabe tocar em dó, óó... A gente nem se bole Mesmo tomando um gole Não esquenta esse forró, óó... Vou me embora dessa dança Que a
  240. 240. Forró Das Crianças - Chega gente Dá de garra nessa dança Que é forró para as crianças E a alegria vai jorrar Vem neném Vem ninar incendiando Vem pegando fogo Que o xamego desse nego Faz aqui um jogo
  241. 241. Forró De Cabo a Rabo - Eu fui dançar um forró, lá na casa do Zé Nabo Nunca ví forró tão bom, nessa noite quase me acabo Tinha um mundão de muié, Sanfoneiro como o diabo O forró tava gostoso, era forró de cabo a rabo.
  242. 242. Forró De Caruaru - No forró de Sá Joaninha No Caruarú Cumpade Mané Bento Só fartava tu Nunca vi meu cumpade Forgansa tão boa tão cheia de brinquedo, de animação Bebendo na função Nós dansemo sem pará
  243. 243. Forró De Mané Vito - Seu delegado, digo a vossa senhoria Eu sou fio de uma famia Que não gosta de fuá Mas tresantontem No forró de Mané Vito Tive que fazer bonito A razão vou lhe explicar Bitola n
  244. 244. Forró De Ouricuri - O Forró vai ser bom ninguém vai sair daqui Tá chegando um caminhão de mulher de ouricuri Sanfoneiro Chico é quem veio pra tocar,e forró Que Chico toca é forró pra danar... Toque e segure t
  245. 245. Forró De Pedro Chaves - Bota, bota lenha na fogueira E petróleo no côco Raimundo } bis Pedro Chaves carrega a ronqueira Distamboca no oco do mundo (bis) Quando há festa Na casa do Pedro } bis O comércio fecha
  246. 246. Forró De Zé Antâo - Fui num folguedo no forró de Zé Antão Convidei Mané Tião Mas que noite de azar! Zefa Doida com Maria Reboliço Foi o primeiro estropício Que nós encontremo lá Zefa Doida com Tião dançando xote Enganch
  247. 247. Forró De Zé Buchudo - Anita vem dançar Anita vem dançar Seu moço eu não vou não Que Xé Buchudo vai brigar Anita vem dançar Anita vem dançar Seu moço eu não vou não Que Zé Buchudo vai brigar Não adianta dizer que não vem
  248. 248. Forró De Zé do Baile - O forró do Zé do Baile Tá pegando fogo Tá pegando fogo Tá pegando fogo } bis Não é mais preciso A gente ir pro Norte Pra dançar baião, mem arrasta-pé Porque aqui mesmo no forró do Zé
  249. 249. Forró do Zé Antão - Fui ao forguedo No Forró do Zé Antão Convidei Mane Tião Mas que noite de azar Zefa Doida Com Maria Ribuliço Foi o primeiro instrupiço Que nóis encontremo lá Zefa Doida Com Tião d
  250. 250. Forró Do Zé Buchudo - Anita vem dançar Anita vem dançar Seu moço eu não vou não Que Xé Buchudo vai brigar Anita vem dançar Anita vem dançar Seu moço eu não vou não Que Zé Buchudo vai brigar Não adian
  251. 251. Forró Fungado - Em Novo Exu Quando tem forró Começa de noitinha Vai até nascer o sol Vem tocador de lugar Mas com Januário O forró é mais mio Quando chego lá Que pego no meu fole A coisa fica qu
  252. 252. Forró Gostoso - Forró gostoso, ai, ai Bahia boa Forró gostoso, ai, ai Moçada boa } bis Quando a moçada vadeia Chega relampeia, troveja e garoa } bis Ê nesse que eu me arrebento Tomo quatro, saio
  253. 253. Forró No Escuro - O candeeiro se apagou e o sanfoneiro cochilou e a sanfona não parou e o forró continuou Seu Luiz vamos embora, vamos embora fique mais um bocadinho, um bocadinho se você for seu
  254. 254. Forró No Interior (furum Furum Firim) - Forró é bicho bom Bicho bom que é forró A gente fica só Da sala pro terreiro Enquanto o sanfoneiro Em seu tamboretinho Tomando uma caninha Puxando a sanfoninha Doidím, doidím Nesse furum, f urum, fi
  255. 255. Forró Número 1 - Sanfona velha do fole furado Só faz fum, só faz fum mesmo assim o cavalheiro faz um refungado e o coração da morena faz tum, tum o sanfoneiro animado puxa o fole depois de tomar um gol
  256. 256. Frei Damião - Frei Damião, onde andará frei Damião Deu-lhe o destino, viver nordestino É hoje o nosso irmão Quando o galo canta na madrugada Já toda gente de pé benze na procissão numa marcha sa
  257. 257. Frescobol - Eu tô, eu tô Eu to cheirando na brasa }bis Sou véio doido Toco tudo que vier Na praia de Cangapé Tomo banho, tomo sol Sou bem aceito Entre a rapaziada Com eles jogo pelada Bato p
  258. 258. From United States of Piauí - Unite States of... Unite States of... Unite States of... ... of Piauí A minha prima lá do Piauí Deixou de fazer renda só pra ver novela A minha prima lá do Piauí Não bebe mais ga
  259. 259. Frutos da Terra - Esta terra dá de tudo Que se possa imaginar Eu e ela, ela e eu Mão de Deus abeçoando Eu e ela, ela e eu Sapoti, jaboticaba Mangaba, maracujá Cajá, manga, murici Cana caiana, juá
  260. 260. Fulô da Maravilha - Belezinha é fulô da maravilha Quem te diz sou eu Maravilha da fulô } bis A fulô da maravilha Eu comparo a belezinha Sendo pouco apreciada É fulô mais modestinha Quando sinto seu abra
  261. 261. Fulô Maravilha - Belezinha é Fulô da maravilha, quem te diz sou eu Maravilha da fulô A fulô da maravilha, eu comparo à belezinha Sendo pouco apreciada, é fulô mais modestinha Quando eu sinto o seu abraço Penso até qu
  262. 262. Galo Garnizé - Minha vizinha Tinha um galo pequenino Era ladino aquele galo garnizé Eu sem querer Pisei no pé de uma galinha Ele cantou quéquéréqué E beliscou-me aqui no pé Com a vizinha Muito te
  263. 263. Garimpeiro Sonhador - Garimpa garimpeiro Vamos garimpar } bis Garimpeiro sonhador Garimpeiro intipinente O fracasso não abate Tua fibra de valente Garimpeiro sem fortuna Garimpeiro sem amor Seja sempre
  264. 264. Garota Todeschini - Garota Todeschini Ouça bem essa homenagem Que um caboclo de coragem Sanfoneiro e cantador Que nunca cantou vantagem Nem na luta e nem no amor Você gauchinha merece Toda minha gratidão
  265. 265. Gato Angorá - Ela me chama De gatinho angorá Diz que sou sonso Sou manhoso e muito mau Mas na verdade Se eu me faço de gatinho É pra conseguir carinho Coisa muito natural Se ela se zanga Eu ev
  266. 266. Gibão De Couro - Minha velha tão querida Proteção da minha vida Vale muito mais que ouro Porque ela é, porque ela é porque ela é ( bis) Meu gibão de couro Nas antigas batalhas romanas Armadura era gran
  267. 267. Guerreiro Menino - Um homem também chora Menina morena Também deseja colo palavras amenas Precisa de carinho Precisa de ternura Precisa de um abraço da própria candura Gerreiros são pessoas são for
  268. 268. Homenagem a Zé Dantas - Chora Nordeste Neste baião Em homenagem a teu irmão Chora comigo Nordeste Chora comigo Sertão Chora o caboclo que veste Roupa de couro gibão Chora meu olho d’ água Chora meu pé
  269. 269. Hora Do Adeus - O meu cabelo já começa pratiando Mas a sanfona ainda não desafinou A minha voz vocês reparem eu cantando Que é a mesma voz de quando meu reinado começou Modéstia à parte é que eu não desafino Desde
  270. 270. Hora Do Adeus - O meu cabelo já começa pratiando Mas a sanfona ainda não desafinou A minha voz vocês reparem eu cantando Que é a mesma voz de quando meu reinado começou Modéstia à parte é que eu não desafino Desde
  271. 271. Hora do Adeus - O meu cabelo já começa pratiando Mas a sanfona ainda não desafinou A minha voz vocês reparem eu cantando Que é a mesma voz de quando meu reinado começou Modéstia à parte é que eu não desafino Desde
  272. 272. Já Era Tempo - Ai, cumpadre tá na hora Pegue a jega, dá na espora De banda, vamos embora De poeira afora Vamos sumir na poeira Poeira com nosso fifirifom Prá um lugar Que forró todo tempo é bom Aond
  273. 273. Já Vou Mãe - Mãe eu vou me embora A hora chegou Deixo a senhora aqui Vou contra meu gosto Mas eu vou Um dia eu volto Para lhe buscar Vou lhe fazer um pedido Lembrando de mim Não precisa chora
  274. 274. Januário - Quando eu voltei lá p'ro sertão e quis zombar de Januário no meu fole prateado, só de baixo, cento e vinte, botão bem juntinho, como nego empareiado mas eu quis fazer bonito e de passagem po
  275. 275. Januário Vai Tocar - Ai, ai, sanfona de oito baixos Do tempo que eu tocava Na beira do riacho Ai,ai, sanfona de oito baixos } bis A cidade te acha ruim Mas eu num acho Lá na taboca No baxío, no Granit
  276. 276. Jardim da Saudade - Ver carreteiro Na estrada passar E o gaiteiro sua gaita tocar Ver campos verdes cobertos de azul Isto só indo ao Rio Grande do Sul Ver gauchinha, seu pingo montar E amar com sinceridade
  277. 277. Jesus Sertanejo - Jesus Meu Jesus sertanejo Presença maior, minha crença Nestas terras sem ninguém Silêncio Na serra, nos campos Ai desencanto que a gente tem E o vento que sopra, ressoa Ai sequidão
  278. 278. Juazeiro - Juazeiro, juazeiro, Me responda por favor, Juazeiro, velho amigo, Onde anda o meu amor, Ai, juazeiro, ela nunca mais voltou, Diz, Juazeiro, Onde anda o meu amor, Juazeiro, não te le
  279. 279. Juca - Deixa, Juca Deixa Deixa de queixa e vamos cantar Se a mocinha fugiu dos teus braços É sinal que ainda vai melhorar Embora cantando, sorrindo ou chorando Todos queremos te ver voltar O p
  280. 280. Juvina - Se o Chifre de um touro não mata Um cabra ligeiro e brigão Saudade do amor bem que mata É punhal bem cravado no coração Se o estrepe que fura um vaqueiro Que faz um homem forte gemer A
  281. 281. Karolina Com K - Karolinaaa.. Hahaa.. Karolina foi o maior estrupicio que encontrei na minha vida!! ahh..mulé bagunceira da mulesta,mulé cangaceira.. Conheci Karolina num forró que eu tava tocando.. quando
  282. 282. Karolina Com K - Karolinaaa.. Hahaa.. Karolina foi o maior estrupicio que encontrei na minha vida!! ahh..mulé bagunceira da mulesta,mulé cangaceira.. Conheci Karolina num forró que eu tava tocando.. quando
  283. 283. Karolina com K - Karolinaaa.. Hahaa.. Karolina foi o maior estrupicio que encontrei na minha vida!! ahh..mulé bagunceira da mulesta,mulé cangaceira.. Conheci Karolina num forró que eu tava tocando.. quando
  284. 284. Lá Vai Pitomba - De pé em pé A bola no gramado Vai de lado a lado E lá vai pitomba Do meio do campo Vai para o ataque Que não é de araque E lá vai pitomba O goleiro sai Consegue espalmar Meu ti
  285. 285. Ladrão De Bode - Vida boa vida alegre, minha vida é um pagode, Me criei robando cabra, vou morrê robando bode Me criei robando cabra, vou morrê robando bode Seu delegado me solta, lhe garanto ao senhor Se
  286. 286. Lampião - Lampião, Lampião Foi cabra valente Era de enganchar Do princípio ao fim Vou mostrar que Lampião Não era tão valente assim } bis Lampião era valente Valente como ele só Mas levou um
  287. 287. Lampião - Era Besta Não - Lampião, Lampião Foi cabra valente Era de enganchar Do princípio ao fim Vou mostrar que Lampião Não era tão valente assim } bis Lampião era valente Valente como ele só Mas levou uma carreira Dois ca
  288. 288. Lampião Falou - Eu não sei porque cheguei Mas sei tudo quanto fiz Maltratei fui maltratado Não fui bom, não fui feliz Não fiz tudo quanto falam Não sou o que o povo diz Qual o bom entre vocês? De vo
  289. 289. Lascando O Cano - Vamo, vamo Joana Vamo na carreira Vamo pra fogueira Festejá meu São João Vamo, vamo Joana Findou-se o inferno Houve bom inverno Há fartura no sertão ai... Joana traz pamonha, mi
  290. 290. Légua Tirana - Oh, que estrada mais comprida Oh, que légua tão tirana Ai, se eu tivesse asa Inda hoje eu via Ana Quando o sol tostou as foia E bebeu o riachão Fui inté o juazeiro Pra fazer uma oração Tô vol
  291. 291. Légua Tirana - Oh, que estrada mais comprida Oh, que légua tão tirana Ai, se eu tivesse asa Inda hoje eu via Ana Quando o sol tostou as foia E bebeu o riachão Fui inté o juazeiro Pra fazer uma oração Tô vol
  292. 292. Lembrança da Primavera - A primavera chegou Tudo agora é flor Lembro dos meus verdes tempos E do meu primeiro amor } bis Tinha eu então pouco anos Quando eu te conhecí Passei por mil desenganos Nunca mais te
  293. 293. Lendas De São João - Eu vou, vou soltá foguete Eu vou, vou soltá balão Eu vou festejá São Pedro Eu vou festejá São João } bis Diz que Santa Isabel Disse a prima Maria João vindo ao mundo Lhe aviso no dia
  294. 294. Lenha Verde - Fungô, Fungô, Fungô Fungô, Fungô, Fungo, hum! } bis Botaram lenha verde na fogueira Que brincadeira que acharam de inventar Agora todo mundo tá sofrendo A fumaça tá ardendo Só se ver n
  295. 295. Liforme Instravagante - “Mandei fazer um linforme, como toda a preparação, para botar no arraiá, na noite de São João. Chapéu de arroz doce forrado com tapioca As fitas de alfinim e as fivelas de paçoca
  296. 296. Linda Brejera - Vem cá brejeira, pro sertão Tens meu rancho a te esperar Deixa o frio desse brejo e vem Eu te dou o sol pra te aquentar Tenho as noites lindas de luar E uma rede de algodão Tudo é teu,
  297. 297. Lorota Boa - Dei u'a carrera num cabra qui mexeu c'a Maroquinha Cumeçou na Mata Grande e acabou na Lagoinha! Curri mais de sete légua, carregado cumo eu vinha Pois trazia na cabeça um balaio cheio de galinh
  298. 298. Louvação a João Xxiii - Cantador desse Nordeste Afinei o meu bordão Eu agora vou fazer Uma bonita louvação Ao velhinho lá de Roma Ao bondoso Papa João } bis Vinte e três de santidade Oitenta de coração No
  299. 299. Luar Do Sertão - Não há, ó gente, ó não Luar como esse do sertão Não há,ó gente,ó não Luar como esse do sertão Oh!que saudade do luar da minha terra Lá na terra branquejando folhas secas pelo chão Este
  300. 300. Lula Meu Filho - Lula meu filho Num perca o coração Lembre sempre do baião Cante sempre pro povão Lula meu filho Minha voz que ficar roca Tá certo! Você tá noutra Mas lembre do baião Foi com o v
  301. 301. Lulu Vaqueiro - Lulu vaqueiro Era grande sensação Quando havia vaquejada Na puxada de mourão Seu cavalo afamado Conhecido no lugar Era orgulho de vaqueiro Que sabia derrubar Lulu vaqueiro Conqui
  302. 302. Macapá - Eu não tinha nem dez anos Minha mãe veio me falar Me pôs calça de homem e me disse: Vai meu fío, vai trabaiá Desde então que eu toco e canto O meu fole a me ajudar... Com o baião, siridó,
  303. 303. Maceió - Ai, ai Que saudade, a i que dó Viver longe de Maceió } bis Alagoas Tem jóias tão caras Que meus olhos Não cansam de olhar Uma delas és tu Pajuçara Praia linda engastada no mar Qu
  304. 304. Madame Baião - Helena traz a sanfona Depressa meu coração Quero mostrar pr’ esses cabras Como se canta um baião Nos braços da minha Helena Encontro consolação Tocando minha sanfona Alegro o meu cor
  305. 305. Madruceu O Milho - Madruceu o milho Falorou algodão Acorda São Pedro Pra dormir São João } bis Quando Deus mandar inverno Sertão se balanceia A negrada cai na farra De sangue novo na veia É tanto for
  306. 306. Malhada Dos Bois - Vamos simbora meu bem Só nós dois Vamos morar Lá na Malhada dos Bois } bis De madrugada Quando o galo cantar Teja pronta meu bem Que eu irei te buscá Vamos casá E ter filhinhos d
  307. 307. Mamulengo - Fala, fala mamulengo Vai gracejando prá nos divertir Fala, fala mamulengo O mundo inteiro necessita sorrir }bis No teatro de mamulengo Nhem, nhem, nhem Do povão se destrair Nhem, nhe
  308. 308. Manduquinha - Manduquinha Era o maior sanfoneiro do lugar Em toda parte tocava Para o povo apreciar Duas lágrimas rolavam Dos seus dois olhos sem vida Quando assim ele cantava Minha canção prefeirda
  309. 309. Mané E Zabé - Ô Zabé, Zabé, Zabé Zabé, Zabé, dez vezes Zabé Ô Zabé, Zabé meu bem Eu chamo tanto e Zabé não vem Ô Zabé não quero me humilhar Mas o amor depois da briga É gostoso pra danar É o mel q
  310. 310. Mané Gambá - Eu tava passeando Lá em Novo Exu Ví um forrozinho Quente prá chuchu Tinha que ter muque Pra entrar alí Eu entrei de duque Com Amaroli Quem tava tocando era Camarão Aquele burrego
  311. 311. Mangaratiba - Ôi, lá vem o trem rodanda estrada arriba Pronde é que ele vai? Mangaratiba! Mangaratiba! Mangaratiba! Adeus Pati, Araruama e Guaratiba Vou pra Ibacanhema, vou até Mangaratiba! Adeus Alegre,
  312. 312. Mangaratiba - Ôi, lá vem o trem rodanda estrada arriba Pronde é que ele vai? Mangaratiba! Mangaratiba! Mangaratiba! Adeus Pati, Araruama e Guaratiba Vou pra Ibacanhema, vou até Mangaratiba! Adeus Alegre,
  313. 313. Manoelito Cidadão - Ôô... Manoelito Cidadão Gente boa tá aí mesmo Melhor não conheço não }bis A noite de São João É a noite mais brasileira Na fazenda Rancho Alegre Tem rojão, fogo e ronqueira Manoelito
  314. 314. Marabaixo - Aonde tu vais rapaz? Neste caminho sozinho } bis Eu vou fazer minha morada Lá nos campos do laguinho } bis As ruas do Macapá Estão ficando um primor } bis Tem hospitais, tem escolas
  315. 315. Marcha da Petrobrás - Brasil, meu Brasil Tu vais prosperá tu vais Vais crescer inda mais Com a Petrobrás Agora a coisa vai mudar O sangue da terra vai jorrar Porque o Nacional Monopólio Nos deu o nosso um
  316. 316. Mariá - Oi tá tá tá Dei um tiro de amor No coração de Mariá } bis Por causa dela Eu chorava, eu sofria Eu gostava de marvada Mas ela num me queria Ôi tá, ôi tá Arranjei outra Botei no lu
  317. 317. Maria Baiana - Maria Baiana Pra donde tu vai? Maria Baiana Vá levando o que é seu Vai deixando o que é seu Vai eixando o que é meu Ou daqui você não sai } bis Que danado deu em você Que mudou tão de
  318. 318. Maria Cangaceira - Maria, Maria Bonita como a natureza Bonita como canta a água Na quebrada da correnteza } bis Filha do velho José Maria, beleza rara Foi nascida e criada Na Malhada Caiçara }bis Qua
  319. 319. Mariana - Eu vou pra ver Mariana, Mariana sorrir e dançar Mariana brincando na vida, to correndo pra lá E vou levando a sanfona, mode a gente cantar Ei garota, pirritota, Mariana, Mariana Ei garota,
  320. 320. Marimbondo - O marimbondo vindo peneirando a asa Para entrar em nossa casa chega chuva no sertão Pra matá fome da muiê e nosso fio Amassa coco e assa mio na fogueira de São Jõao Setembro vem aí Tem safra de algod
  321. 321. Marimbondo - O marimbondo vindo peneirando a asa Para entrar em nossa casa chega chuva no sertão Pra matá fome da muiê e nosso fio Amassa coco e assa mio na fogueira de São Jõao Setembro vem aí Tem safra de algod
  322. 322. Marinbondo - O marimbondo vindo peneirando a asa Para entrar em nossa casa chega chuva no sertão Pra matá fome da muiê e nosso fio Amassa coco e assa mio na fogueira de São Jõao Setembro vem aí Tem s
  323. 323. Matuto Aperreado - Eu vou, vou volto já Eu vou me embora Vou voltar pro meu lugar }bis A procura de aventura Eu vim praqui Só pensando minha vida melhorar Ao contrário, aqui só vejo a piora Por motivo
  324. 324. Matuto De Opinião - O tocador já tá tocando Já tão botando as cabôca pra quebrar Eu tou sentindo aqui uma dor Mas entrar não vou, que ela tá lá }bis Já me fez uma, já me fez duas Mas a terceira, ela não faz
  325. 325. Mazurca - Mazurca, velha mazurca Inda se dança no meu sertão Quando toca uma mazurca Na latada, no salão Os meninos com as meninas Vão desatando com pé no chão Toca, toca e é bom cantador Toca ma
  326. 326. Me Afubelo - Há certas coisas Que me afubela E eu vou dizer }bis O nome de uma delas É quando saio com a Gabriela E os cabra fica coma mutuca nela }bis Eu fico louco Fico louco, fico louco } bis
  327. 327. Medley - Paraíba / Juazeiro / Mangaratiba / Qui nem Jiló - Quando a lama virou pedra E Mandacaru secou Quando o Ribação de sede Bateu asa e voou Foi aí que eu vim me embora Carregando a minha dor Hoje eu mando um abraço Pra ti pequenina Paraíba masculina, M
  328. 328. Medley - Vem Morena / Cintura Fina / Xote das Meninas / Forró do Mane Vito - Vem, morena, pros meus braços Vem, morena, vem dançar Quero ver tu requebrando Quero ver tu requebrar Quero ver tu remechendo Resfulego da sanfona Inté que o sol raiar Esse teu fungado quente
  329. 329. Menestrel Do Sol - Pego a estrada sem descanso Sem parar para ver Tempo e chão que percorridos gritos que eu plantei Menestrel do sol Na vida eu só cantei Juntando irmão com irmão Eu esquecia de viver
  330. 330. Menino De Braçanã - É tarde, eu já vou indo Preciso ir embora, Até amanhã Mamãe, quando eu saí Disse: Filho não demora em Braçanã }bis Se eu demoro Mamãezinha tá a me esperar Pra me castigar Tá doido mo
  331. 331. Menino Do Braçanã - É tarde, eu já vou indo Preciso ir embora, 'té amanhã Mamãe quando eu saí disse Meu filho não demora em Braçanã Se eu demoro mamaezinha Tá a me esperar Pra me castigar Tá doido moço faço isso, n
  332. 332. Meu Araripe - Meu Araripe, meu relicário Eu vim aqui rever meu pé de serra }bis Beijar a minha terra Festejar seu centenário Sejam bem vindos Os filhos de Januário Pro centenário do Araripe festejar
  333. 333. Meu Chevrolet - No meu chevrolet, vamos passear Pela estrada a fora, vamos namorar No meu chevrolet, vamos passear Vamos fazer planos pra depois casar Chevroletear, vem meu amor Chevroletear, vamos embo
  334. 334. Meu Dedo Mindinho - Ai, a,i ai, ai, amor Eu acho que vou morrer Meu coração tá com um bichinho Danadinho, danadinho pra roer (bis) Meu dedo mindinho tá me dizendo Que você com outro amor tá me enganand
  335. 335. Meu Padrim - Ai meu Padrim Meu Padrim Frei Damião Ai meu Padrim Me dê sua benção Ai meu Padrim Meu Padrim Frei Damião No Nordeste, quando há seca Ninguém agüenta viver Sofre o pobre, sofre o ri
  336. 336. Meu Pajeú - Já faz um ano e tanto Que eu deixei meu Pajeú Com tanta felicidade Vim penar aqui no sul Ai, hum! Ai meu Deus O que é que eu vou fazer Longe do meu Pajeú Não poderei viver São Pa
  337. 337. Minha Fulô - Minha fulô, ai que saudade! Ai, ai, que dor! Ai, ai, ai, minha fulô! As fulô do meu sertão São bonita e são cheirosa O pau-d'arco e o pau-pereiro Faz inveja a qualquer rosa Canafista e muçambê Eu nem
  338. 338. Moça De Feira - Se não chover Amanhã vou passear Comprar farinha Lá na feira do Pilar }bis Lá no Pilar Numa certa bodeguinha Sá Lariquinha Bota a filha no barcão E a Catarina Com seus óio gat
  339. 339. Moda Da Mula Preta - Eu tenho uma mula preta com sete palmos de altura A mula é descanelada, tem uma linda figura Tira fogo na calçada, no rampão da ferradura Co'a morena delicada, na garupa faz figura A mula fic
  340. 340. Moda Da Mula Preta - Eu tenho uma mula preta com sete palmos de altura A mula é descanelada, tem uma linda figura Tira fogo na calçada, no rampão da ferradura Co'a morena delicada, na garupa faz figura A mula fic
  341. 341. Moela E Coração - A vida é assim Todos têm razão Uns pedem pra chover Outros não, não, não Um tem amor no peito Outro ingratidão Um tem uma moela E outro, coração } bis Tem gente que vive a vida D
  342. 342. Morena Bela - Pelo tamanho do copo Se conhece o bebedor Pelo roncado do fole Se conhece o tocador Esse teu suor salgado Esse olhar namorador Morena, nesse forró Já sei quem é meu amor És tu m
  343. 343. Morena Cor De Canela - FALADO: - Seu Lula? - oiiii - olha ela ai - é um brotinho muito atrevido ô Ocimar Olha o jeito dela morena cor de canela pode morrer de paixão quem olhar nos olhos dela (2x) O
  344. 344. Moreninha, Moreninha - Moreninha, moreninha Lá no céu tem o luar Lá no alto, uma casinha E bem perto, eu tenho o mar Morena, morena Tenho o céu, a terra e o mar Só falta o carinho Que você não quer me dar
  345. 345. Moreninha Tentação - Há duas coisas na vida Que me enche o coração O olhar dessa morena E dançar o meu baião Morena tu me iluduste Me fazendo tanta dor Deixando, muita saudade, moreninha Moreninha, meus amo Ai morena More
  346. 346. Moreninha Tentação ( Moacir de Araújo e Luiz Gonzaga) - Há duas coisas na vida Que me enche o coração O olhar dessa morena E dançar o meu baião Morena tu me iluduste Me fazendo tanta dor Deixando, muita saudade, moreninha Moreninha, meus amo Ai mo
  347. 347. Motivação Nordestina - Minha canção nordestina Sem tristeza e amargor Vem louvar a Carolina Tropicália e xangô O xote, baião e xaxado Vioeleiro e cantador Eu canto com todo agrado E louvo com todo amor A
  348. 348. Mulher De Hoje - Antigamente A mulher era mulher A companheira Que nos deu o criador Lar era só felicidade Era só tranqüilidade Era paz e era amor Mulher tinha medo de barata Corava com piadas de s
  349. 349. Na Cabana do Rei - Fui feliz nos dias que passei Na cabana do rei Dormi, sonhei Ao som da melodia da rãs Da cabana do rei Juro que gostei Dos banhos que tomei no lago Da cabana do rei Se Deus permiti
  350. 350. Na Emenda - Na emenda Amarre a corda direito Na emenda Pra corda não rebentar Na emenda Mas dê um nó de respeito Quero o povo satisfeito Bincando de emendar Na emenda Tem moça que quebra jur
  351. 351. Na Lagoa Do Amor - Onde a morena se banha é na lagoa do amor Tira a roupa e não se acanha é na lagoa do amor Onde o homem se assanha é na lagoa do amor Bebe água e não estranha é na lagoa do amor é n
  352. 352. Não Bate Nele - Não bate nele, que eu conheço E a família dele é do Maranhão Esse rapaz tem fama de valente Mas não faz frente a nenhum valentão O nome dele é Mane Sabiá E ele é filho de Zé Caité Esse ra
  353. 353. Não É Só a Paraíba Que Tem Zé - Não é só a Paraíba que tem Zé Que tem Zé, que tem Zé }bis A Paraíba de Zé Américo Zé da Luz e Zé Pereira Ainda deu o Padre Zé E o famoso Zé Limeira Pernambuco tem um Zé Que nunca and
  354. 354. Não Foi Surpresa - Meu amor não foi surpresa Quando você foi embora Já esperava, pois meu galo Cantou fora de hora Meu amor, num tô zangado Porque você me deixou Qui me mata é saber Que você tem novo a
  355. 355. Não Vendo Nem Troco - Olha que pedaço É pra sonhar! Que coisa mais bonita, Que belo animal Você está querendo se Engraçar Não é pra vender, Nem é pra trocar Olha que molejo que ela tem Beleza sem igual
  356. 356. Nega Zefa - Gente, olha a Zefa Como dança o xaxiado } bis Êita nega da muléstia Dão cabelo arrepiado É bonito a gente ver A nega no salão Todo mundo fica olhando A nega tipo violão É bonito a
  357. 357. Nem Se Despediu De Mim - Nem se despediu de mim Nem se despediu de mim Já chegou contando as horas Bebeu água e foi embora Nem se despediu de mim Te assossega coração Esse amor renascerá Vai-se um dia mas vem outro Aí
  358. 358. Nessa Estrada da Vida - Nessa estrada da vida Fico a imaginar A que caminhos Pode me levar Morena te vejo em sonhos A soluçar Essa distância Vai nos separar Meu peito é uma fogueira Nas noites de luar
  359. 359. No Canto do Salão - Ficar no canto do salão É muito bom Agarradinho, balançando É muito bom Quando ela encosta, meu amigo É muito bom Quando ela aperta, meu amigo É bom, bom, bom A gente fica no xameg
  360. 360. No Ceará Não Tem Disso Não - D7 Tenho visto tanta coisa Nesse mundo de meu Deus Coisas que prum cearense Não existe explicação Qualquer pinguinho de chuva Fazer uma inundação Moça se vestir de cobra E dizer qu
  361. 361. No Ceará Não Tem Disso Não - D7 Tenho visto tanta coisa Nesse mundo de meu Deus Coisas que prum cearense Não existe explicação Qualquer pinguinho de chuva Fazer uma inundação Moça se vestir de cobra E dizer qu
  362. 362. No Ceará Não Tem Disso Não - D7 Tenho visto tanta coisa Nesse mundo de meu Deus Coisas que prum cearense Não existe explicação Qualquer pinguinho de chuva Fazer uma inundação Moça se vestir de cobra E dizer qu
  363. 363. No Dia Em Que Eu Vim Embora - No dia em que vim embora Minha mãe chorava e ai Minha irmã chorava e eu ui E eu nem olhava prá trás No dia em que eu vim embora Num teve nada de mais Mala de couro forrada Com pano fort
  364. 364. No Meu Pé De Serra - Lá no meu pé de serra deixei ficar meu coração Ai que saudade tenho eu vou voltar pro meu sertão No meu roçado eu trabalhava todo dia Mas no meu rancho tinho tudo que eu queria Lá se planta
  365. 365. No Meu Pé De Serra - Lá no meu pé de serra deixei ficar meu coração Ai que saudade tenho eu vou voltar pro meu sertão No meu roçado eu trabalhava todo dia Mas no meu rancho tinho tudo que eu queria Lá se planta
  366. 366. No Meu Pé De Serra - Lá no meu pé de serra deixei ficar meu coração Ai que saudade tenho eu vou voltar pro meu sertão No meu roçado eu trabalhava todo dia Mas no meu rancho tinho tudo que eu queria Lá se planta
  367. 367. No Meu Pé de Serra - Lá no meu pé de serra deixei ficar meu coração Ai que saudade tenho eu vou voltar pro meu sertão No meu roçado eu trabalhava todo dia Mas no meu rancho tinho tudo que eu queria Lá se planta
  368. 368. No Piancó - Você não pense Que só é no Moxotó Que tem cabra extravagante Ele não está só Vou lhe provar Que também no meu estado Tem sujeito viciado Como tem no Piancó Se atirar pra burro brabo
  369. 369. Noites Brasileiras - Ai que saudades que eu sinto Das noites de São João Das noites tão brasileiras na fogueira Sob o luar do sertão Meninos brincando de roda Velhos soltando balão Moços em volta à fogueira Brincando com
  370. 370. Noites Brasileras - Ai que saudades que eu sinto Das noites de São João Das noites tão brasileiras na fogueira Sob o luar do sertão Meninos brincando de roda Velhos soltando balão Moços em volta à fogueir
  371. 371. Nordeste Pra Frente - (Refrão) : Sr. réporter já que tá me entrevistando va anotando pra botar no seu jornal que meu Nordeste tá mudado publique isso pra ficar documentado Qualquer mocinha hoje veste mini-sai
  372. 372. Nordeste Sangrento - Nordeste sangrento Que o céu esqueceu E a prece dos homens no ar Se perdeu Até a esperança Perdeu sua cor Nem nos corações Existe amor Sou devoto Sou romeiro Devoto de meu Padrim
  373. 373. Nos Cafundó De Bodocó - Nos cafundó De Bodocó, de Bodocó, de Bodocó Nos cafundó De Bodocó, de Bodocó, de Bodocó Nos cafundó De Bodocó, de Bodocó, de Bodocó Nos cafundó De Bodocó, de Bodocó, de Bodocó
  374. 374. Numa Sala De Reboco - Todo tempo quanto houver pra mim é pouco Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco Todo tempo quanto houver pra mim é pouco Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco Enquanto o
  375. 375. Numa Sala De Reboco - Todo tempo quanto houver pra mim é pouco Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco Todo tempo quanto houver pra mim é pouco Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco Enquanto o
  376. 376. Nunca Mais Vi Esperança - Nunca mais eu ví Fazer adivinhação Nunca mais eu ví O meu time de botão Nunca mais eu ví Pegar boi no marmeleiro Arrasta-pé no sertão Nunca mais eu ví Pai Mandú dizer quadrão Nunca
  377. 377. O Adeus Da Asa Branca ( Tributo A Humberto Teixeira) - Quando o verde dos teus óio Se espáia na prantação Uma lágrima doída Vai moiá todo o sertão No cantá do assum preto Vai se ouvir mágoas e dor Ribaçã morrê de sede Com sodade de douto Foi se embora a
  378. 378. O Andarilho - Caí do céu por descuido Se tenho pai, num sei não Venho de longe,m seu moço Lugar chamado sertão Vivo sozinho no mundo Zombei da sede, zombei Cortei com minha peixeira Todo mal que enco
  379. 379. O Bom Improvisador - O bom Improvisador Zé Canário na viola, andorinha no ganzá Sabiá improvisando pra cabroeira dançar (bis) Quando falta uma rima Ao bom improvisador É mesmo que um coração quando falta
  380. 380. O Caçador - Tudo é começo Madrugada, alvorecer A vida inteira já começa a renascer Mas que contraste Faz um tiro de espingarda Guarda incerteza Malvadeza, que tristeza É por certo um caçador O
  381. 381. O Cantador - Amanhece, preciso ir Meu caminho é sem volta E sem ninguém Eu vou pra onde a estrada levar Cantador, só sei cantar Ah! Eu canto a dor Canto a vida e a morte Canto o amor Cantado
  382. 382. O Casamento De Rosa - Se amonta Joana, monta Mariquinha, monta Siá Zefinha, monta Juvená Por esses burro vamos chegá cedo, que hoje o forguedo vai ser de matá Coroné Zeca com muita alegria hoje casa a fia e pr
  383. 383. O Cheiro Da Carolina - Carolina foi pro samba Carolina Pra dançá o xenhenhém Carolina Todo mundo é caidinho Carolina Pelo cheiro que ela tem Carolina Hum, hum, hum Carolina, hum, hum, hum Carolina, hum,
  384. 384. O Coreto da Pracinha - Primeiro a banda passou Tocando coisas de amor Depois tocaram a praça Em rimas cheias de graça Mas ninguém se lembrou Do Correto da Pracinha Onde sempre tocava A garbosa bandinha O
  385. 385. Ô De Casa - Ô de casa! Ô de fora! Como vai? Vou muito bem! Como vai a sua senhora? Né da conta de ninguém! Como vai sua senhora, senhor? Não é da conta de ninguém, viu? As crianças vão remando O roçado deu capim
  386. 386. O Delegado No Coco - Nóis tava um coco cantando repente Dançando imbigada, bebendo aguardente Brigando e amando que nem sempre é Nas festas qui tem cachaça e muié Mas quando avistemo quatro sordado Na raça cant
  387. 387. O Festão - A festa vai ser boa Lá na casa do João Com Bete na sanfona E o Tadeu no violão O quintal tá enfeitado Com balões e bandeirinhas Quem quiser tomar um trago É só pedir nas barraquinhas
  388. 388. O Homem da Terra - Aonde está o homem O homem da terra Que trabalha o chão? É ele o herói sem nome Que cultiva a terra Que nos dá pão Olhando para o tempo Tá pedindo chuva Ou desejando sol Rezando
  389. 389. O Maior Tocador - Seu Januário Tome um gole de quentão Solta foguete Quero ver animação Puxe esse fole De oito baixo verdadeiro Bota gás no candieiro E chama as moças pro salão } bis Seu Januário
  390. 390. O Maior Tocador (seu Januário) - O Maior tocador (Seu Januário) Seu Januário tome um gole de quentão Solta foguete, quero ver animação. Puxa esse fole oito baixo verdadeiro Bota gás no candeeiro, chama as moças pro salão. Seu Januá
  391. 391. O Mangangá - Eu vi bicho roncando Mariá Por trás do mangará Mariá Pelo jeito do ronco Mariá Vi que era mangangá Mariá Eu vi bicho roncando Mariá Por trás do mangará Mariá Pelo jeito do ro
  392. 392. O Milagre - Olha eu vou dizer Então se ajoelhe pra escutar Mentira tem perna curta Qualquer um pode pegar Mas se alguém duvida, eu chamo }bis A vir comigo e vamos lá Tem os musgos, tem os santos
  393. 393. O Mote (maquinista E Sacristão) - Piuí,piuí, piuí Faz o apito do trem Bate o sino na capela Belém, blem,blem, blem, blem} bis Trem apita na estação Na hora de viajar Bate o sino na capela Chama o fiel pra rezar Reconheço e admiro Os d
  394. 394. O Papa E O Jegue - O jumento é o símbolo da pobreza Animal que figura no Evangelho Comedor de molambo e papel velho Não tem medo de fome em sua mesa Ao seu dono ele dá pouca despesa No verão, no inverno ou no sol quente
  395. 395. O Papa e o Jegue (Otacílio Batista e Luiz Gonzaga) - O Papa e o Jegue (Otacílio Batista e Luiz Gonzaga) O jumento é o símbolo da pobreza Animal que figura no Evangelho Comedor de molambo e papel velho Não tem medo de fome em sua mesa Ao seu dono
  396. 396. O Passo da Rancheira - Vamo dançá O passo da ranchêra Vamo, Rosinha Vem me alegrá } bis Ês a roseira A Rosa, Rosinha Ês a moreninha Com quem eu vou casá } bis Minha morena Meu doce de côco Inc
  397. 397. O Resto a Gente Ajeita - Eu agora tou viúva Tou querendo me casar Com um cabra tutanhudo Bom pra trabalhar Que seja carinhoso E não me chame de sujeita O resto a gente ajeita} bis Ai, ai, me arrasta caboclin
  398. 398. O Tocador Quer Beber - Lá no meu sertão Quando o cabra quer tocar Pega na sanfona E começa a traquejar Toca um bocadinho Tá doidinho pra parar Só pra dizer O tocador quer beber } bis Sanfoneiro ruim To
  399. 399. O Torrado - Lá no sertão Quando o cabra tá queimado Dentro do samba Ele só quer dançar torrado Pega a morena E enforca na cintura Agarra bem segura Como quem sente secura Tá com sede e quer matar
  400. 400. O Torrado da Lili - Lili, tem torrado ai? Me dê uma narigada } bis Mas eu quero dormir Eu tenho Mas, porém não dou Meu torrado é bom } bis Mas é de meu amor O seu torradinho é bom E o seu cheirinho
  401. 401. O Urubu É Um Triste - Quem vem ao mundo marcado Felicidade não tem Mudar destino traçado Ninguém consegue, ninguém Quem nasce feio, enjoado Tem sofrimento, tem dor Por todos não desejado Não tem vintém, n
  402. 402. O Véio Macho - O que eu faço todo dia é bem pensado E calculado bem direito na medida Capricho muito quando puxo esta sanfona Em quarqué zona enquanto tivé vida Cantando côco, baião, xote e toada Essa
  403. 403. O Vovô Do Baião - Seu Januário Com bem noventa anos Tinha nos seus planos Fazer uma operação Sua Família Tava toda reunida Rezando pela vida Do vovô do baião (2x) Vai Januário, Quem não reza por você Opera Januário V
  404. 404. O Xamego da Guiomar - Acho muito interessante O xamego da Guiomar Ela diz a todo instante Que comigo quer casar Num creio muito nisso Ela sabe muito bem Aceito um compromisso Pela gaita que ela tem } bis
  405. 405. O Xote Das Meninas - Mandacaru quando fulorá na seca é um sinal que a chuva chega no sertão Toda menina que enjôa da boneca é sinal de que o amor já chegou no coração Meia comprida não quer mais sapato baixo Ve
  406. 406. O Xote Das Meninas - Mandacaru quando fulorá na seca é um sinal que a chuva chega no sertão Toda menina que enjôa da boneca é sinal de que o amor já chegou no coração Meia comprida não quer mais sapato baixo Ve
  407. 407. O Xote das Meninas - Mandacaru quando fulorá na seca é um sinal que a chuva chega no sertão Toda menina que enjôa da boneca é sinal de que o amor já chegou no coração Meia comprida não quer mais sapato baixo Ve
  408. 408. Obrigado João Paulo - De longe viestes Pra estar no Nordeste No meu Ceará Teu gesto tão nobre No rico e no pobre Não se apagará Da fé, peregrino Ao Pastor Divino Vieste adorar Trazendo ao meu povo Ferv
  409. 409. Óia Eu Aqui De Novo - óia eu aqui de novo, xaxando óia eu aqui de novo, para xaxar vou mostrar pr'esses cabras que eu ainda dô no couro isso é um desaforo que eu não posso levá óia eu aqui de novo, xaxando
  410. 410. Olha a Pisada - Ôô mulé rendêra Ôô mulé rendá Chorô por mim num fica Solução vai no borná Assim era que cantava Os cabras de Lampião Dançando e xaxando Nos forró do sertão Entrando numa cidade Ao sair de um povoado
  411. 411. Olha a Pisada Boiadeiro - Assim era que cantava os cabras de Lampião Dançando e xaxando nos forró do sertão Entrando numa cidade ao sair dum povoado Cantando a rendeira se danavam no xaxado Eu que me criei na pisad
  412. 412. Olha Pro Céu - Olha pro céu, meu amor Vê como ele está lindo Olha praquele balão multicor Como no céu vai sumindo Foi numa noite, igual a esta Que tu me deste o teu coração O céu estava, assim em festa Pois
  413. 413. Olha Pro Céu - Olha pro céu, meu amor Vê como ele está lindo Olha praquele balão multicor Como no céu vai sumindo Foi numa noite, igual a esta Que tu me deste o teu coração O céu estava, assim em festa Pois
  414. 414. Olha pro Céu - Olha pro céu, meu amor Vê como ele está lindo Olha praquele balão multicor Como no céu vai sumindo Foi numa noite, igual a esta Que tu me deste o teu coração O céu estava, assim em festa Pois
  415. 415. Onde O Nordeste Garoa - Conheço uma cidade bem pernambucana Que todo mundo chama de Suíça brasileira Água pura, clima frio na realidade Garanhuns é uma cidade linda e tão brejeira Garanhuns, cidade serrana Gara
  416. 416. Onde Tu Tá Neném - Estou aqui de novo, junto ao meu povo Minha gente amiga Quem me conhece sabe, que eu detesto intriga Uma saudade enorme, come, deita e dorme no meu coração Remédio indicado pra quem está erra
  417. 417. Orélia - Caminheiro sem destino O destino é Deus quem dá Sempre em paz comigo mesmo Coração só pra cantar Um xamego hoje aqui Amanhã, um dengo acolá E o pó das estrada apagando Os xodós que eu t
  418. 418. Os Bacamarteiros - Chegou São João É tempo de baque Do baque do bacamarte Que o bacarmateiro } bis Vê quantos guerreiros, granadeiros A riúna e a columbrina Aglutina o batalhão Cobrem-se de cor do infi
  419. 419. Os Olhinhos do Menino - Os olhinhos do menino marejou Quando seu pai viajou } bis Quando seu pai viajou Não avisou A seu filho quando ia voltar Mamãe disse que foi Jesus que levou O papai pra passear Jesus
  420. 420. Ou Casa Ou Morre - Cumpadre Ludugero O caso é muito séro Seu filho Delotéro Deu um chêro em minha fía Por esse atrevimento Eu fiz juramento Ou sai o casamento Ou morre toda famía } bis Já convidei o
  421. 421. Outro Amanhã Será - O que aconteceu Nunca mais acontecerá Não acontecerá } bis Nosso amor agora vive Meu amor, passou a crise Outro amanhã será } bis O que passou em nossa vida Nada importa, nada mai
  422. 422. Ovo Azul - A galinha pôs um ovo azul O fato causou sensação O galo não foi na conversa No dia seguinte, matou o pavão Papagaio quando fala É um caso sério Desfez o mistério Que havia na questão
  423. 423. Ovo De Codorna - Eu quero um ovo de codorna pra comer O meu problema ele tem que resolver (bis) Eu tô madurão Passei da flor da idade Mas ainda tenho Alguma mocidade, Vou cuidar de mim Pra não acontecer
  424. 424. Ovo de Codorna - Eu quero um ovo de codorna pra comer O meu problema ele tem que resolver (bis) Eu tô madurão Passei da flor da idade Mas ainda tenho Alguma mocidade, Vou cuidar de mim Pra não acontecer
  425. 425. Padre Sertanejo - Quando o jeep lá em cima apontou No arraia do meu sertão A moçada lá em baixo gritou Chegou o padre, vai ter procissão Seu Vigário chegou muito alegre Veio do Brejo da Madre de Deus Deus
  426. 426. Padre Sertanejo - Quando o jeep lá em cima apontou No arraia do meu sertão A moçada lá em baixo gritou Chegou o padre, vai ter procissão Seu Vigário chegou muito alegre Veio do Brejo da Madre de Deus Deus
  427. 427. Padroeira do Brasil - Senhora da Aparecida Venho de longe a cantar Para fazer-te um pedido E minha santa louvar } bis Ai,ai, ai Oh... Oh...Oh...Oh...Oh...Oh E minha santa louvar Minha santinha morena
  428. 428. Pagode Russo - Ontem eu sonhei que estava em Moscou Dançando pagode russo na boate Cossacou (bis) Parecia até um frevo naquele cai não cai Parecia até um frevo naquele vai não vai (bis) Vem cá c
  429. 429. Pagode Russo - Ontem eu sonhei que estava em Moscou Dançando pagode russo na boate Cossacou (bis) Parecia até um frevo naquele cai não cai Parecia até um frevo naquele vai não vai (bis) Vem cá c
  430. 430. Pagode Russo - Ontem eu sonhei que estava em Moscou Dançando pagode russo na boate Cossacou (bis) Parecia até um frevo naquele cai não cai Parecia até um frevo naquele vai não vai (bis) Vem cá c
  431. 431. Pagode Russo - Ontem eu sonhei que estava em Moscou Dançando pagode russo na boate Cossacou (bis) Parecia até um frevo naquele cai não cai Parecia até um frevo naquele vai não vai (bis) Vem cá c
  432. 432. Pai Nosso - Pai Nosso Que estais no céu do sertão Santificado Quem vive sobre esse chão Sertanejo faz oração É sofrido, é vivido de solidão Nas quebradas, nos tabuleiros Só pensa que a vida está
  433. 433. Palavras Ao Vento - Palavras ao Vento Ando por aí querendo te encontrar Em cada esquina paro em cada olhar Deixo a tristeza e trago a esperança em seu lugar Que o nosso amor pra sempre viva
  434. 434. Pão Duro - Sou pão duro, vivo bem Não dou esmola, não faço favor Não ajudo a ninguém Sou pão duro, vivo bem Quem quiser que faça assim Como eu também Eu moro no morro Em num barracão Não tenh
  435. 435. Paraíba - Quando a lama virou pedra E Mandacaru secou Quando o Ribação de sede Bateu asa e voou Foi aí que eu vim me embora Carregando a minha dor Hoje eu mando um abraço Pra ti pequenina Paraíba masculina, M
  436. 436. Paraíba - Quando a lama virou pedra E Mandacaru secou Quando o Ribação de sede Bateu asa e voou Foi aí que eu vim me embora Carregando a minha dor Hoje eu mando um abraço Pra ti pequenina Paraíba masculina, M
  437. 437. Paraíba - Quando a lama virou pedra E Mandacaru secou Quando o Ribação de sede Bateu asa e voou Foi aí que eu vim me embora Carregando a minha dor Hoje eu mando um abraço Pra ti pequenina Paraíba masculina, M
  438. 438. Paraíba Masculina - Quando a lama virou pedra e mandacaru secou quando ribançã de sede bateu asas e voou foi aí que eu fui me embora carregando a minha dor hoje eu mando um abraço p'ra ti pequenina Êta pa
  439. 439. Paraxaxá - Ôi, cabra danado Cabra danado Bom no pé para xaxar } bis É no triângulo, lôlô É no zabumba, bumbá Cabra danado Bom no pé para xaxar } bis Sou sanfoneiro do norte Sou cantador do
  440. 440. Pássaro Carão - Pássaro Carão cantou Anum chorou também A chuva vem cair No meu sertão Vi um sinar, meu bem Que me animou também Ainda ontem vi Póvora no chão } bis É bom inverno que vem É chuva
  441. 441. Passo Do Pinguim - Pinguim nadou do pólo até o Cabo Firo E de lá pro Rio Pra brincar o carnaval Do calor pinguim nem deu sinal De casaco e peito duro O pinguim é mesmo o tal Pinguim! Oi, olha o passo, o p
  442. 442. Passo Fome Mas Não Deixo - Morro de fome Troco o nome mas num deixo Me dê amor Um tiquinho desse remelexo Mudo meu nome Passo fome, mas não deixo Estou doidinho Pro tiquinho de remelexo Lá em casa A mulher
  443. 443. Pau De Arara - Quando eu vim do sertão, seu môço, do meu Bodocó A malota era um saco e o cadeado era um nó Só trazia a coragem e a cara Viajando num pau-de-arara Eu penei, mas aqui cheguei (bis) Troux
  444. 444. Pau De Sebo - Você que veio de longe Na roda de um avião Mexeu com todo mundo Causando sensação Quero ver você subir No pau-de-sebo Você que é atleta E diz que é campeão Que tem medalha à beç
  445. 445. Paulo Afonso - Delmiro deu a idéia Apolônio Aproveitô Getúlio fez o decreto E Dutra realizô O presidente Café A usina inaugurô E gracas a esse feito De homens que tem valô Meu Paulo Afonso foi Son
  446. 446. Pedaço De Alagoas - Areia branca à beira-mar Ai que saudade Qualquer dia desse eu volto lá ] bis Quem é que não gosta de carinho Quem é que não gosta de um xodó Quem é que não sente saudade De um dia de s
  447. 447. Pedido a São João - Se Deus quiser vou me embora pro sertão Pois a saudade me aconselha o coração Manda que eu vá convidar Dona Chiquinha para ser minha madrinha na Fogueira de São João Chegando lá desabafo
  448. 448. Penas Do Tiê - Vocês já viram lá na mata a cantoria Da passarada quando vai anoitecer? E já ouviram o canto triste da araponga Anunciando que na terra vai chover? Já experimentaram guabiroba bem madur
  449. 449. Penero Xerem - Oi pisa o milho Penerô xerem Penerô xerem Penerô xerem Oi pisa o milho Penerô xerem Oi pisa o milho Penerô xerem Eu não vou criar galinha Pra dá pinto pra ninguém Na minh
  450. 450. Penero Xerem - Oi pisa o milho Penerô xerem Penerô xerem Penerô xerem Oi pisa o milho Penerô xerem Oi pisa o milho Penerô xerem Eu não vou criar galinha Pra dá pinto pra ninguém Na minh
  451. 451. Penerô Xerém - Oi pisa o milho Penerô xerem Penerô xerem Penerô xerem Oi pisa o milho Penerô xerem Oi pisa o milho Penerô xerem Eu não vou criar galinha Pra dá pinto pra ninguém Na minh
  452. 452. Perpétua - Se a perpétua cheirasse Seria a rainha das flores Mas como a perpétua não cheira, meu bem Não é a rainha das flores Eu conheço uma donzela Que é mais bela que as flores Ninguém quer ca
  453. 453. Perpétua - Se a perpétua cheirasse Seria a rainha das flores Mas como a perpétua não cheira, meu bem Não é a rainha das flores Eu conheço uma donzela Que é mais bela que as flores Ninguém quer ca
  454. 454. Pesqueira Centenária - Pesqueira centenária Meus parabéns pra você Quero vaqueiro aboiando Sirena forte apitando E xucurús a dançar Cem anos da minha amiga Pesqueira desta cantiga Pra ela vamos cantar Pra e
  455. 455. Petrolina Juazeiro - Na margem do São Francisco nasceu a beleza E a natureza ela conservou Jesus abençoou com a sua mão divina Pra não morrer de saudade vou voltar pra Petrolina Do outro lado do rio tem uma c
  456. 456. Piauí - Ai, ai, ai,ai Que saudades do Piauí Ai, ai, ai,ai Qualquer dia Estarei por ai Os anos foram passando Meu cabelos prateando Mas esquecer não conseguí Terra onde o sol brilha mais
  457. 457. Piriri - Pra dançar quadría No sertão é mais mió Sanfoneiro e violeiro Tomam conta do forró Não precisa orquestra Pra animar a festa No fungado da sanfona Vai-se até nascer o sol Piriri,
  458. 458. Pisa No Pilão - Pisa no pilão tum ... Hoi! Pisa no pilão tá...(2x) Pisa no pilão tum ... Hoi! Pisa no pilão tá...(2x) Pisa no pilão meu bem pisa o milho pro xerém pra fazer fubá hoi pisa no pilão cabocla qu
  459. 459. Plano Piloto - É Asa Norte, é Asa Sul, é avião É Lago Norte, é Lago Sul, é construção } bis Pau de Arara, violeiro da nação É Alvorada, é Taquatinga, é solidão Na Asa Norte Eu me lembrei de seu Oscar
  460. 460. Pobre do Sanfoneiro - Pobre sanfoneiro Não sei o que tem Alegra todo mundo Num dá sorte com ninguém Ora veja bem Chega no forró Dá de mão no fole E tome gole no gogó Aí começa a festa Tudo bonitinho
  461. 461. Pobreza Por Pobreza - Meu sertão vai se acabando Nessa vida que o devora Pelas trilhas só se vê gente boa indo embora Mas a estrada não terá o meu pé pra castigar Meu agreste vai secando E com ele vou secar
  462. 462. Pobreza Por Pobreza - Meu sertão vai se acabando Nessa vida que o devora Pelas trilhas só se vê gente boa indo embora Mas a estrada não terá o meu pé pra castigar Meu agreste vai secando E com ele vou secar
  463. 463. Portador do Amor - Eu sou do povo Sou um cirandeiro Armo a ciranda Em qualquer lugar Dou minha mão À dama e a cavaleiro É o bastante Para me apresentar } bis Eu sou Um portador do amor Vem cá, me
  464. 464. Pra Frente Goiás - Pra frente, prá frente meu Goiás Prodoeste chegou em teu planalto Se dormais, acorda agora Que chegou a hora de falar mai alto Goiânia, Princesinha bela! Linda tela de exposição Ainda
  465. 465. Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores - Caminhando e cantando E seguindo a canção Somos todos iguais Braços dados ou não Nas escolas, nas ruas Campos, construções E seguindo a canção Vem, vamos embora Que esperar não é s
  466. 466. Pra Não Morrer De Tristeza - Mulher Deixastes tua moradia Pra viver de boemia E viver no cabaré E eu Pra não morrer de tristeza Me sento na mesma mesa Mesmo sabendo quem és } bis E hoje Nós vivemos de bebida
  467. 467. Pra Onde Tu Vai, Baião? - Pra onde tu vai Baião? Eu vou sair por aí Tu vais por que, Baião? Ninguém me quer mais aqui } bis Sou o dono de cavalo De garupa, munto não Eu vou pro meu pé-de-serra Levando meu mat
  468. 468. Pra Que Mais Mulher - Pra que mais mulher Pra que mais mulher Se tenho uma Que faz tudo que eu quiser Quando eu quero um chá quentinho Ela vem me dar Um balaio de carinho Ela vem me dar Ainda bota um fo
  469. 469. Prece Por Exu Novo - Seu moço É tão triste a história Que já nem sei do começo Não gosto de sua lembrança E quando lembro estremeço Eu era ainda criança E tudo já estava no avesso Amor demais deu em ódio
  470. 470. Procissao - Olha lá vai passando a procissão Se arrastando que nem cobra pelo chão As pessoas que nela vão passando acreditam nas coisas lá do céu As mulheres cantando tiram versos, os homens escutando tir
  471. 471. Projeto Asa Branca - Louvado seja Deus Abençoada a canção Louvado seja o homem Que dá água pro sertão Bendito foi o momento De divina inspiração Quando feita a conclusão De um grande planejamento Dia o
  472. 472. Pronde Tu Vai Lui? - Pronde tu vai Lui? Eu vou pra casa dela Fazê o que Lui? Eu vou carregá ela } bis Lui tu não te alembra Da carreira que levou No caminho caminho da cachoeira Qua a poeira alevantou
  473. 473. Propriá - E A B E Tudo que eu tinha deixei lá não trouxe não A B E deixei o meu roçado plantadinho de feijão A B E deixei a minha mãe com o meu pai e meus irmãos A B E e com a rosinha eu deixe
  474. 474. Qi Nem Jilo - Se a gente lembra só por lembrar De um amor que a gente um dia perdeu Saudade entonce assim é bom pro cabra se convencê Que é feliz sem saber pois não sofreu Porém se a gente vive a sonhar
  475. 475. Quarqué Dia - Quarqué dia, Quarqué dia Eu vou deixar de sofrer Boto o matulão nas costas Para o mundo percorrer Primeira coisa que faço É me esquecer de você } bis Se argum dia eu voltar Triando e
  476. 476. Quase Maluco - Tou quase maluco Pra ver meu Pernambuco Também ver os engenhos E as belezas que tem lá Rever o meu mocambo Trepar no pé de jambo Deitar nas folhas secas Do meu velho jatobá Chupar
  477. 477. Que Modelos São Os Seus? - Muié danada que modelos sao os seus Muié danada que modelos sao os seus Muié danada que modelos sao os seus, fugindo da minha casa com tudo que era meu Ai ai ai, com tudo que era meu Ai ai
  478. 478. Que Nem Jiló - Se a gente lembra só por lembrar O amor que a gente um dia perdeu Saudade inté que assim é bom Por cabra se convencer Que é feliz sem saber Pois não sofreu Porém se a gente vive a son
  479. 479. Queimando Lenha - O pagode aqui Vai dá no meio da canela Prepare a goela Pra beber e pra cantar O tocador Sanfoneja e diz a loa É aí que a paia avoa E vamos ver a paia avuá } bis Tá pegando fogo Quero ver o f
  480. 480. Queixas do Norte - Ai doutor Venha ver o meu Nordeste Tão perseguido da seca Atacado pela peste É o que mais atormenta Desde o sertão ao agreste O caboclo nordestino Faz a sua devoção } bis Pra se li
  481. 481. Quer ir Mais Eu? - Quer ir mais eu? Vamo Quer ir mais eu? Vambora } bis Vambora, vambora, sem demora Deixa a roupa na corda Que não vai chover agora Mas se você quiser ficar Eu vou ali, vou ali E volto já Mas p
  482. 482. Quero Chá - Morena eu quero chá, eu quero chá, eu quero chá morena velha eu quero chá. (bis) Já, já, já, já morena velha eu quero chá. (bis) Morena eu quero chá, eu quero chá, eu quero chá more
  483. 483. Quero uma Mulher - Eu quero uma mulher Mas sabe como é que é É de dia pro roçado De noite levar meus pé E de manhã trazer na cama Um caneco de café Uns quatro, cinco cheiro E uns dezoito cafuné Isso que é muié
  484. 484. Quero Ver - Quero ver gado correndo Quero vaqueiro aboiando Quero tardinha chovendo Sol de manhã clareando Quero tristeza morrendo Muita alegria brotando Quero ver na passarada No arrebol cantarolando Qu
  485. 485. Quero Ver Correr Moleque - Vou dar viva a Santo Antonio São João, viva São Pedro Sanfoneiro não cochila Puxa esse fole sem medo Que eu tou doido pra farrar No fungado desse fole Vou até o sol raiar Sá Maria das Candeia
  486. 486. Qui Nem Gilo - óia eu aqui de novo, xaxando óia eu aqui de novo, para xaxar vou mostrar pr’esses cabras que eu ainda dô no couro isso é um desaforo que eu não posso levá óia eu aqui de novo, xaxando
  487. 487. Qui Nem Jiló - Se a gente lembra só por lembrar De um amor que a gente um dia perdeu Saudade entonce assim é bom pro cabra se convencê Que é feliz sem saber pois não sofreu Porém se a gente vive a sonhar
  488. 488. Qui nem Jiló - Se a gente lembra só por lembrar De um amor que a gente um dia perdeu Saudade entonce assim é bom pro cabra se convencê Que é feliz sem saber pois não sofreu Porém se a gente vive a sonhar
  489. 489. Rainha do Mundo - Senhora Rainha do Mundo Rogai por nós Desta terra varonil Agora e na hora De lutar pelo Brasil Não deixeis que ninguém ponha a mão Neste auriverde pendão } bis Senhora Rainha do M
  490. 490. Rainha do Mundo - Senhora Rainha do Mundo Rogai por nós Desta terra varonil Agora e na hora De lutar pelo Brasil Não deixeis que ninguém ponha a mão Neste auriverde pendão } bis Senhora Rainha do M
  491. 491. Ranchinho De Paia - Ranchinho de paia Que abriga você Nas paias do coqueiro E só a lua nos vê Ranchinho de paia Onde o chão é de areia Onde nós dois se agasaia Nessa casinha tão feia Mas pouca gente É feliz como nós Um c
  492. 492. Ranchinho De Palha - Ranchinho de palha Que abriga você e eu Nas palhas do coqueiro e só a lua nos deu Ranchinho de palha Onde tudo é amor E a beleza da praia E o canto do pescador Onde o chão é de areia
  493. 493. Raparam Tudo - O dia vem raiando Só tem cinza na fogueira Cada um pra sua casa Acabou-se a brincadeira Sanfoneiro pare o fole Que já é segunda-feira Comeram a canjica toda Deram sumiço ao quentão } bi
  494. 494. Razão do Meu Querer - Flor da pele morena Tu não tens pena do meu penar Faz tempo, estou te amando E não recebo nenhum olhar Dou meu amor de graça O tempo passa, tu sem notar Sofro quando te vejo Esse meu pe
  495. 495. Recado do Velho - Meu velho pai já dizia Meu fío tome cuidado Muito cuidado, muito cuidado É preciso ter cuidado Pouca moça na festa Tocador desembesta Muié pensa o que não presta E o homem fica azuado }
  496. 496. Regresso do Rei - Tou voltando Pra ficar no meu sertão Regressando E levando o meu matulão Por ondes eu andei, cantei As coisas da minha terra As belezas de um pé de serra As tristezas da seca do sert
  497. 497. Rei Bantu - Meu avô lá no congo Foi Rei Bantu Mas aqui eu sou rei Do maracatu Eu fiz meu reinado Fiz meu tarbuco Lá nos carnaviá Do meu Pernambuco Ai, ai, Orixalá Ai, ai, meu pai nagô! Ó v
  498. 498. Relógio Baião - Tic-tac do relógio Que do Norte vem É a cadência bem marcada } bis Que o baião tem Ai, o meu relógio é nortista Bate, como bate o baião E esse tal tic-tac,morena Pisa no meu coração
  499. 499. Respeita Januário - Quando eu voltei lá no sertão Eu quis mangar(zombar) de Januário Com meu fole prateado Só de baixo, cento e vinte, botão preto bem juntinho Como nêgo empareado Mas antes de fazer bonito de passa
  500. 500. Respeita Januário - Quando eu voltei lá no sertão Eu quis mangar(zombar) de Januário Com meu fole prateado Só de baixo, cento e vinte, botão preto bem juntinho Como nêgo empareado Mas antes de fazer bonito de passa
  501. 501. Respeita Januário/Riacho Do Navio/Forró No Escuro - Quando eu voltei lá no sertão Eu quis zombar de Januário Com meu fole prateado Só de baixo, cento e vinte, botão preto bem juntinho Como nêgo empareado Mas antes de fazer bonito de passagem por Granit
  502. 502. Retrato De Um Forró - Quando tu balança Dá um nó na minha pança Madrugada entrando E o fole gemendo Poeira subindo E o suor descendo Quem não tava "bêbo" Já tava querendo E eu cambaleando Ia te dizendo
  503. 503. Riacho Do Navio - Riacho do navio corre pro Pajeú e o rio Pajeú vai despejar no São Francisco e o rio São Francisco vai bater no meio do mar (bis) Ah! Se eu fosse um peixe ao contrário do rio nadava con
  504. 504. Rio Brígida - O Rio Brígida Nasce lá no pé da serra Na Fazenda Gameleira De seu Chico Alencar E vai descendo Vai rolando devagar Chega em Novo Exu E com licença eu vou cantar Em Novo Exu Ele c
  505. 505. Rodovia Asa Branca - Eu vi um dia Dois homens fazer um trato De ligar Exu ao Crato Pernambuco ao Ceará O homem de cá Trabalhou chegou primeiro E o de lá também ligeiro Num dançou eu chego lá Olha o hom
  506. 506. Roendo Unha - Quando vimvim cantou, corri pra ver você atrás da serra o sol tava pra se esconder quando você partiu eu não esqueço mais meu coração amor, partiu atrás Vivo com os olhos na ladeira qu
  507. 507. Romance Matuto - Menina, se vc quiser... Eu faço esse mundo seu! Quem é sincero assim não teme... Vc tem o leme do destino meu! Morena, vc vai ouvir... Palavras lindas de amor! Que vem de um coração me
  508. 508. Rosa De Mearim - Ontem Sonhei com rosa meu amor Chorando a se lastimar Depois de me dar um beijo Dizia, meu benzinho Vivo sempre a te esperar Rosa morena Ficou lá no Mearimeu longe dela E ela longe
  509. 509. Rosinha - Rosinha, Rosinha Eu sou o teu vassalo Roisnha, Rosinha Tu és minha rainha } bis Vou vender os meus terengue Vou deixar minha terrinha Meu coração tá pedindo Pra eu rever minha Rosinh
  510. 510. Sabiá - A todo mundo eu dou psiu, perguntando por meu bem Tendo o coração vazio, vivo assim a dar psiu Sabiá vem cá também Tu que andas pelo mundo sabiá, tu que tanto já voou Tu que cantas passarinho, a
  511. 511. Sabiá - A todo mundo eu dou psiu, perguntando por meu bem Tendo o coração vazio, vivo assim a dar psiu Sabiá vem cá também Tu que andas pelo mundo sabiá, tu que tanto já voou Tu que cantas passarinho, a
  512. 512. Sabiá - A todo mundo eu dou psiu, perguntando por meu bem Tendo o coração vazio, vivo assim a dar psiu Sabiá vem cá também Tu que andas pelo mundo sabiá, tu que tanto já voou Tu que cantas passarinho, a
  513. 513. Salmo Dos Aflitos - Menino de procissão Cordeiro de um rebanho sem fim Me lembro das graças que o povo Pedia pros céus, era assim As virgens todas proclamam Tua graça em formosura Sôis a dileta do povo
  514. 514. Samarica Parteira - SAMARICA PARTEIRA - Oi sertão! - Ooi! - Sertão d' Capitão Barbino! Sertão dos caba valente... - Tá falando com ele!... - ...e dos caba frouxo também. -...já num tô dento. - Há, há, há..
  515. 515. Sanfona Do Povo - Quem roubou minha sanfona foi Mané,foi Rufino, foi Romão? Quem roubou minha sanfona foi o Zé,foi Batista ou Bastião? Quem roubou minha sanfona ai! traz de volta seu ladrão Olha aquí essa sanfon
  516. 516. Sanfona Sentida - Vem amor, vem cantar Pois meus olhos Ficam querendo chorar Deixe a mágoa pra depois O amor é mais importante a dois. Chora sanfona sentida Em meu peito gemendo Vai machucando E o meu peito
  517. 517. Sanfoneiro Macho - Sanfoneiro puxa o fole Bota o fole pra roncar Que o ronco desse fole Faz a gente se animar Andei mais de l’égua e meia Pra poder aqui chegar Onde tem forró eu vou Eu faço tudo e chego l
  518. 518. Sanfoneiro Zé Tatu - Anima minha gente Que chegou o sanfoneiro É bom, é verdadeiro Veio de Caruaru O cabra é famoso Por esse sertão inteiro Já tocou em São Caetano Arcoverde e Novo Exu Toca aniversário
  519. 519. Sangrando - Quando eu soltar a minha voz por favor entenda Que palavra por palavra eis aqui uma pessoa se entregando Coração na boca peito aberto, vou sangrando São as lutas dessa nossa vida que eu estou c
  520. 520. Sangue de Nordestino - Quando eu vim da minha terra Foi com dor no coração Quando lá deixei meus pais Meus parentes, e meus irmãos Aquela gente querida Faz parte da minha vida Como vou dizer que não } bis Se eu não
  521. 521. Sangue Do Nordestino - Quando eu vim da minha terra (2x) foi com dor no coração, quando lá deixei meus pais, meus parentes, meus irmãos, aquela gente querida faz parte da minha vida, como vou dizer que não? Se eu não s
  522. 522. Sangue Nordestino - Quando eu vim da minha terra com foi com dor no coração Quando eu vim da minha terra com foi com dor no coração Quando lá deixei meus pais, meus parentes, meus irmãos Aquela gente querida faz p
  523. 523. Santana - Eu não sabia que a Maria me amava eu nunca notei, eu nunca notei Também dizia que não me apaixonava e me apaixonei, me apaixonei Mas Hoje eu sei que a Maria, tá daquele jeito Quando ela olha pra gent
  524. 524. São Francisco De Canindé - Eu vi terra fumaçar Vi graveto aestalando ao sol Eu vi o rio virar Um deserto de pedra e pó A noite se avermelhou De tão quente o céu e o chão Meu povo se encomendou Esperando o ,fim do
  525. 525. São João Antigo - Era festa de alegria São João! Tinha tanta poesia São João! Tinha mais animação Mais amor mais emoção Eu não sei se eu mudei Ou mudou o São João Bis Vou passar o mês de Junho Nas
  526. 526. São João Chegou - Ai São João chegou, lá ia Ai São João chegou, Sinhá Eu tenho uma festinha Pra te levar Eu tenho uma fogueira Para nós pulá Teu vestido de fita Vá mandando engomar Tuas tranças p
  527. 527. São João Do Carneirinho - Eu plantei meu milho todo no dia de São José Se me ajuda a providência, vamos ter milho à grané Vou "coiê" pelos meus "caico"(cálculo) 20 espiga em cada pé Pelos "caico" (cálculo) eu vou "coi
  528. 528. São João Na Roça - A fogueira ta queimando Em homenagem a São João O forró já começou Vamos gente, rapa-pé nesse salão Dança Joaquim com Zabé Luiz com Yaiá Dança Janjão com Raque E eu com Sinhá Traz
  529. 529. São João Nas Capitá - São João nas Capitá Não me diga que é São João É calça remendada No joelho e no fundão São João nas capitá Só se dança iê-iê-iê Vamos lá mangar Vamos lá mangar Bis Iê,iê,iê, Iê,iê,iê,
  530. 530. São João No Arraiá - Ô Iaiá vem ver Ô Iaiá vem cá Vem ver coisa bonita São João no arraia Vem ver quanta fogueira No terreiro embandeirado Foguetes e balões Sobre o céu todo estrelado Namoro à moda ant
  531. 531. São João Sem Futrica - Nunca vi São João Sem foguete, sem fogueira Tric-trac, ronqueira Busca pé e baião Sem adivinhação Milho assado e canjica Sem sanfoneiro, é futrica Pra mim nunca foi São João Por is
  532. 532. Saudade da Boa Terra - Salvador Eu to doido Pra vortá a terra de meu Salvador Pra rever Iaiá, Ioiô Pra rever meu Senhor do Bonfim Saudade do cais dourado Saudade do plano inclinado Da Baixa do Sapateiro Sau
  533. 533. Saudade De Pernambuco - Ai que saudade lá de Pernambuco De Iputinga, Arruda, Encruzilhada De Água Fria, Torre, Dois Irmãos A saudade tá danada, num resisto não Se me aperta mais o peito, pego o avião Vou comer sar
  534. 534. Saudade Dói - Lalaiá, lalaiá Lalaiá, lalaiá Ai, ai, ai, ai Saudade dói Se é bom pra sentir Pra curtir, pra sonhar Vejam só mais que som Que o meu fole dar Se é dengo a roer Que tu quer recorda
  535. 535. Saudades De Helena - Saudade ta me matando Helena vem me buscar Eu passo as noites chorando E os dias passo a chorar bis Sem Helena a minha vida É tristeza, é solidão É seca braba no norte É morrer na in
  536. 536. Se Não Fosse Esse Meu Fole - Lutei que nem boi manso Naquele sertão Puxando cobra pros pés Enxada na mão Não vendo este meu fole Nem por um castigo Eu não vou me separar De meu melhor amigo Se não fosse esse m
  537. 537. Sequei Os Olhos - Sequei os olhos De tanto o céu olhar Nenhuma lágrima Não posso nem chorar Nem uma nuvem Bonita prá chover E desse jeito Não tem jeito prá viver Eu vi a chuva Zunindo no telhado E
  538. 538. Serrote Agudo - Passando em Serrote Agudo Em viagem incontinente Vendo a sua solidão Saí pesando na mente Eu vou fazer um estudo Prá contar á miúdo Quem já foi Serrote Agudo Quem está sendo no prese
  539. 539. Sertanejo do Norte - Eu vou falar desse povo Que não faz mal a ninguém O sertanejo do norte Que e pau de arara vem Desprotegido da sorte Sou pau de arara também Ribaçã, se tem fartura Nunca muda de lugar
  540. 540. Sertão De Aço - Lá lá lá rá rá Se você visse Como é o meu sertão Aí você diria Que eu falo com razão Lavoura lá Dá só com o cheiro de chuva Tem resistência O milho e o feijão Com uma chuva Em
  541. 541. Sertão Sofredor - - Falando: Ah, meu sertão véio sofredô! Terrazinha pesada da gota! Terra mole, vote... Quando chove lá, chove prá derreter tudo. A terra vira lama, a cheia acaba com os pobres, açudão pro mundo..
  542. 542. Sete Faces - As sete saias rodadas da moça As sete saias rendadas da moça As sete saias rosadas da moça Girando no meio do salão Girando no bom do baião Girando no meu coração O brilho do ouro no dent
  543. 543. Siri Jogando Bola - (Lá no mar) Vi dois siri jogando bola (Lá no mar) Vi dois siri bola jogar (Lá no mar) Vi dois siri jogando bola (Lá no mar) Vi dois siri bola jogar Fui passear no país do tatu-b
  544. 544. Siridó - Nós já cantemos o baião e o pé de serra E a Asa Branca que veio lá da nossa terra Mas nós agora temos coisa bem melhor Temos a nova dança que se chama o siridó O Seridó? Sim, o siridó O Seridó? Sim,
  545. 545. Só Vale Quem Tem - Quem aos vinte não barbou E aos trinta não casou Aos quarenta ta sem ter nenhum vintém Coitado do pobre Não barba, não cassa, não tem Aos vinte ano eu barbei Aos vinte ano eu casei A
  546. 546. Só Xote - Sanfoneiro, toque o xote Toque o xote que eu quero xotear Nesse xote, eu danço a noite inteira Xoteando para o povo apreciar bis Dançar xote Com quem sabe é bom demais Tenho certeza qu
  547. 547. Sorriso Cativante - Quando chego no meu rancho Vejo a minha moreninha De sorriso cativante Eu sacudo a poeira da estrada E os contratempos da vida Deixo em lugar distante Minha paz está ali dentro Essa
  548. 548. Sou do Banco - Eu sou do banco Do banco, do banco bis É que o matuto Deu de garra dos papé E foi bater Nos banco do Juazeiro Tirou dinheiro E comprou cinco vaquinha E para tanto Contratou logo
  549. 549. Súplica Cearense - Oh! Deus, perdoe este pobre coitado Que de joelhos rezou um bocado Pedindo pra chuva cair sem parar Oh! Deus, será que o senhor se zangou E só por isso o sol se arretirou Fazendo cair toda chuva que
  550. 550. Súplica Cearense - Oh! Deus, perdoe este pobre coitado Que de joelhos rezou um bocado Pedindo pra chuva cair sem parar Oh! Deus, será que o senhor se zangou E só por isso o sol se arretirou Fazendo cair toda chuva que
  551. 551. Tá Bom Demais - Tá bom demais Esse forró tá bom demais Chega tá do jeito Que num tem defeito Esse forró tá bom demais bis Nessa simetriaAmanheço o dia Sem pestanejar Devagar e sempre Vou tomar uns qu
  552. 552. Ta Qui Pá Tu - Ai, ai, aiUi, ui, ui Taqui, taqui O pitoco, seu louco Seu louco da êga O galope da nêga Da nêga arretada Que veio das brenhas Lá do Piancó Taqui, taqui O pitoco e a banana Moleque s
  553. 553. Tacacá - Quem vai a Belém do Pará Desde a hora em que sai Não se esquece de lá Quer voltar Lembrar do Açaí e do Tacacá Que saudade que dá De Belém do Pará Orar na Matriz de Belém Conversar c
  554. 554. Tambaú - Tambaú Linda praia do norte Onde o céu e o mar se encontram Tambaú, coqueirais Tambaú como estás? Tambaú Era verde e calmo o mar Bem mais branco o luar Foi a praia mesmo mais linda
  555. 555. Tamborete De Forró - Ela era miudinha Botei seu nome Tamborete de forró Mas quando ela me deu uma olhada Senti logo uma flechada Meu coração foi logo dando um nó (2x) E ela dançando balançando os cachos Que deu Sento e v
  556. 556. Tamborete Forró - Ela era miudinha Botei seu nome tamborete de forró Mas quando ela me deu uma olhada Senti logo uma flechada Meu coração foi logo dando um nó bis Ela dançando, balançando os cachos Que meu
  557. 557. Tei Tei Arraiá - É hoje, é hoje, É hoje que a páia vai vuá É hoje que vai ter forró de fole Tem muié que num é mole No tei tei do arraia bis A mulherada Chega cedo e animada Junto com a rapaziada Pra
  558. 558. Tei Tei No Arraiá - É hoje, é hoje, É hoje que a palha vai voar É hoje que vai ter forró de fole Tem mulher que não é mole No tei tei do arraiá A mulherada chega sempre animada Junto com a rapaziada pra festejar São J
  559. 559. Tenho Onde Morar - Barracão é teu, vou desocupar Meu coração, vou desabafar Me dá meu violão Que eu vou-me embora Quero mostrar a senhora Que tenho aonde morar Já vou Bis Barracão é teu Não era preciso
  560. 560. Terra, Vida E Esperança - Estou no cansaço da vida Estou no descanso da fé Estou em guerra com a fome Na mesa, fio e muié Ser sertanejo, senhor É fazer do fraco forte Carregar azar ou sorte Comparar vida com a m
  561. 561. Tesouro E Meio - Ô baião Faz a gente lembrar, esquecer Ô baião Traz saudade gostosa de ter Um triângulo Uma sanfona, um zabumba Uma cabrocha Baionando um balanceio Quanto vale? Tesouro e meio Uma
  562. 562. Testamento De Caboclo - Posso morrer Mas desta vida não me queixo E na toada Vou dizer tudo que deixo Deixo o roçado Bonitinho e bem cuidado Uma galinha Com pintinho no cercado Deixo o riacho E o murmúrio
  563. 563. Tic Tac, Tic Tac - Tic-tac, Tic-Tac Tic-tac, Tic-Tac Oi bate, bate O coração mais devagar Tic-tac, Tic-tí Tic-tac, Tic-tá Se o teu amor te deixou Deixa pra lá Dissimula tuas mágoas Coração apaixonado
  564. 564. Tô Sobranco - Vou tocar minha polquinha Pras meninas do arraiá Todas são ta bonitinhas Que nem sei qual vou tirar Será Lia, ou Maria Todas duas tem seu par Ai, ai, ai, Com quem é que vou dançar Vou
  565. 565. Toca Pai - Toca Pai ( Luiz Gonzaga e João Silva) Que alegria que eu sentia Quando via pai tocar Nas festanças da fazenda No forró do arraiá Era tanto que eu pedia Pra meu velho me alegrar Toca,
  566. 566. Toca Uma Polquinha - Toca, toca uma polquinha Que eu quero me espalhar Toca, toca Malaquía Para o baile melhorar bis Para lá com este samba Sambar não quero mais Toca, toca uma polquinhas Do tempo do Pai To
  567. 567. Todo Homem Quer - Todo Homem Quer (Peterpan – José Baptista) Eu quero e todo quer Eu quero dinheiro, saúde e mulher É isso mesmo ou vice e versa Dinheiro, saúde e mulher E o resto é conversa Eu quero ser
  568. 568. Toque De Rancho - O batalhão, ta lhe chamando Estou aqui, seu Coroné Tatatá, tatatá, tatá Olha a bóia Tatatá, tatatá, tatá Pororoca Recruta ta tocando rancho E o primeiro toque Que se aprende no quarté
  569. 569. Toque De Rancho - O batalhão, ta lhe chamando Estou aqui, seu Coroné Tatatá, tatatá, tatá Olha a bóia Tatatá, tatatá, tatá Pororoca Recruta ta tocando rancho E o primeiro toque Que se aprende no quarté
  570. 570. Três E Trezentos - Quem foi que fez o xerém Quem foi que fez o xamego Quem foi que fez a Guiomar Perder a calma e o sossego Quem foi que fez o calango Falando em três e trezentos Que foi que fez a sanfona
  571. 571. Treze De Dezembro - Bem que esta noite eu vi gente chegando Eu vi sapo saltitando E ao longe ouvi o ronco alegre do trovão Alguma coisa forte pra valer Estava para acontecer na região Quando o galo cantou Qu
  572. 572. Tristeza do Jeca - Neste verso tão singelo Minha bela, meu amor Pra mecê quero contar O meu sofrer e a minha dor Eu, sou como o Sabiá Que quando canta é só tristeza Desde o galho que ele está Nesta viola
  573. 573. Tropeiros Da Borborema - Estala relho marvado Recordar hoje é meu tema Quero é rever os antigos tropeiros da Borborema São tropas de burros que vêm do sertão Trazendo seus fardos de pele e algodão O passo moroso
  574. 574. Tu Que Mingabela? - Tu qué mingabelá, bichinha Faça isso não, faça isso não, faça isso não Tu qué mingabelá, bichinha Faça isso não Tu desmantela o meu pobre coração.......bis Deixa de coisaMaricota vem pra cá
  575. 575. Último Pau De Arara - A vida aqui só é ruim Quando não chove no chão Mas se chover dá de tudo Fartura tem de montão Tomara que chova logo Tomara meu deus tomara Só deixo o meu cariri No último pau-de-arara (
  576. 576. Uma Pra Mim Outra Pra Tú - Cumpadre sê tá vendo o que eu tô vendo. Cumpadre olha quanto murundú. Tem muié no salão de todo jeito. Mas vamo repartir direito, uma pra mim outra pra tú (2x). Cumpadre tú tará desconfiando.
  577. 577. Umbuzeiro a Saudade - Umbuzeiro veio Veio amigo quem diria Que tuas folhas caídas Tuas galhas ressequidas Íam me servir um dia Foi naquela manhãzinha Quando o sol nos acordou Que a nossa felicidade Machuco
  578. 578. Vaca Estrela E Boi Fubá - Seu doutor, me dê licença pra minha história contar Hoje eu tô na terra estranha, é bem triste o meu penar Eu já fui muito feliz vivendo no meu lugar Eu tinha cavalo bom e gostava de ca
  579. 579. Vai Boiadeiro - Vai boiadeiro que a noite já vem guarda o teu gado e vai pra junto do teu bem De manhãzinha quando eu sigo pela estrada minha boiada pra invernada eu vou levar são dez cabeças, é muito
  580. 580. Valha Deus, Senhor São Bento - Valha Deus, Senhor São Bento Buraco veio, tem cobra dentro Quem quiser saber meu nome Não precisa perguntar Sou filho de cobra verde Neto de cobra corá O meu nome é respeitado Meu venen
  581. 581. Vamos Ajuntar Os Troços - Vamos ajuntar os troços O que é meu, o que é teu Será só nosso.........bis Esse negócio De viver dessa maneira Na brincadeira Vou ficar roendo os ossos Que nem cachorro Quando ta com
  582. 582. Vamos Xaxear - Fiz o xaxado Só pra ver no que dava Queria ver Se meu povo gostava Logo de cara ele venceu Todo mundo xaxou Ta aí no que deu Vem cá, vem cá Vem cá, morena Vamos xaxear A dança do
  583. 583. Vaqueiro Véio - Vaqueiro véio sentado Na varanda da morada Estrupiado Já não tange mais boiada Fica chorando Quando passa outro aboiando Êêê boi... Lembrando o tempo Quando bom vaqueiro foi........bi
  584. 584. Vassouras - Vassouras, Vassouras Velha cidade dos tempos coloniais Vassouras, Vassouras O tempo passa e cada vez te quero mais Palmeiras ao vento Dando viva e boa vinda ao passageiro Fugitivo do calo
  585. 585. Vê Se Ligas Para Mim - Vê se ligas para mim Vê se ligas para mim Eu fico todo dengoso Orgulho e formoso Quando ligas para mim Meu nem imaginas Pra chegar uma cartinha De você como demora Vou morar naquela r
  586. 586. Velho Novo Exu - Velho Novo Exu (Luiz Gonzaga – Silvio Moacir de Araújo) Já já, futuca seu Felipe Vamos pro Araripe Que os Gonzaga vão chegar Já, já, te apeia Mané Bento Amarra teu jumento Pega Zefa pra dançar
  587. 587. Velho Pescador - Ô velho pescador Mão no leme, a navegar na proa Nas ondas, nas ondas do mar Ô velho pescador Mão na rede pra puxar E agora, a aurora vai despontar Uma arrancada a mais A rede sobe mais
  588. 588. Vem Morena - Vem, morena, pros meus braços Vem, morena, vem dançar Quero ver tu requebrando Quero ver tu requebrar Quero ver tu remechendo Resfulego da sanfona Inté que o sol raiar Esse teu fungado quente
  589. 589. Vem Morena - Vem, morena, pros meus braços Vem, morena, vem dançar Quero ver tu requebrando Quero ver tu requebrar Quero ver tu remechendo Resfulego da sanfona Inté que o sol raiar Esse teu fungado quente
  590. 590. Vem Morena - Vem, morena, pros meus braços Vem, morena, vem dançar Quero ver tu requebrando Quero ver tu requebrar Quero ver tu remechendo Resfulego da sanfona Inté que o sol raiar Esse teu fungado quente
  591. 591. Vida De Vaqueiro - Eu quarqué dia Vou-me embora pro sertão Pois saudade Não me deixa sossegar Chegando lá Visto logo meu gibão Selo o cavalo E vou pro mato vaquejar O bom vaqueiro Traz sempre no al
  592. 592. Vida De Viajante - Ah-hei... Minha vida é andar, por este país Pra ver se um dia, descanso feliz guardando a recordação, das terras onde passei Andando pelos sertões, dos amigos que lá deixei Chuva e sol,
  593. 593. Vida Ruim - Vida ruim Nunca que chega ao fim Amando só E ninguém pensa em mim Até bicho do mato no mundo Tem seu bem Nasce o sol, morre o sol, vem a noite Só meu bem não vem Só pelo mundo eu v
  594. 594. Viola De Penedo - Refrão: Lingo, lingo, lingo, lingo, A viola de penedo Toca ponteado. Bongo, bongo, bongo, bongo, É zabumba a noite toda No coco rodado. Zé catumé de porto calmo, Num coco em jaboat
  595. 595. Vitória De Santo Antão - Aqui vou deixar meu coração Adeus Vitória de Santo Antão Vem gente até de Recife Prás novena de Vitória Prá comer rolinha assada Ribançã frita na hora As ruas fica intupida De gente
  596. 596. Viva Meu Padim - Olha lá No alto do morro Ele está vivo O padre não tá morto...............bis Viva meu Padim Viva meu Padim Cícero Romão Viva meu Padim Viva também Frei Damião Eu todos os a
  597. 597. Viva O Arigó - Vamos dar viva a ele Ora viva o arigó Vamos dar viva a ele O matuto é o maior................bis Eu trabaio de sol a sol Comigo não tem tempo ruim Por isso na minha paioça Só tem roç
  598. 598. Viva O Arigó - Vamos dar viva a ele Ora viva o arigó Vamos dar viva a ele O matuto é o maior................bis Eu trabaio de sol a sol Comigo não tem tempo ruim Por isso na minha paioça Só tem roç
  599. 599. Viva O Rei - Luiz Gonzaga não morreu Nem a sanfona dele desapareceu Seu automóvel na virada se quebrou Seu zabumba se amassou Mas o Gonzaga não morreu O Catamilho Seu zabumbeiro de fama Danou a c
  600. 600. Vô Casa Já - No amor eu fui vagabundo fui bandoleiro inté E no jardim do namoro fiz um buquê de mulher caiu na rede era peixe Não escolhia a maré Gostei de todos os tipos más só com uma eu fiz fé
  601. 601. Vou Mudar De Couro - Vou mudar de couro Pra ver se a sorte me auxilia Vou mudar de couro Trocar Sabina por Maria Vou mudar de consciência Vou rasgar a fantasia Vou trocar de residência Do açougue a padar
  602. 602. Vou Pra Roça - Eu vou pra roça com muié e fio Vivê pertinho do paió de mío Riscá a viola junto do paio A gente brinca até o nasce do sol Já vou Cá na cidade é um ta de berreiro E não si vévi sem tê d
  603. 603. Vou Te Matar De Cheiro - Tô doidinho, prá me deitar naquela cama Tô doidinho, prá me cobrí com teu lençol Doidinho, prá te matar de cheiro, soprá no candeeiro Deitá nos travesseiro e começá nosso forró (2x) E hoje ac
  604. 604. Vovô Do Baião - Seu Januário Que tem noventa anos Tinha nos seus planos Fazer uma operação Sua Família Tava toda reunida Rezando pela vida Do vovô do baião (2x) Vai Januário, Quem não reza por v
  605. 605. Vozes Da Seca - Seu doutô os nordestino têm muita gratidão Pelo auxílio dos sulista nessa seca do sertão Mas doutô uma esmola a um homem qui é são Ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão É por isso que pi
  606. 606. Vozes Da Seca - Seu doutô os nordestino têm muita gratidão Pelo auxílio dos sulista nessa seca do sertão Mas doutô uma esmola a um homem qui é são Ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão É por isso que pi
  607. 607. Xamêgo - O xamego dá prazer, o xamego faz sofrer O xamego às vezes doi, às vezes não O xamego às vezes roi o coração Todo mundo quer saber o que é o xamego Ninguém sabe se ele é branco, se é mulato ou "nego"(r
  608. 608. Xanduzinha - O caboclo Marcolino, Tinha oito boi zebú, Uma casa com varanda, Dando pro Norte e pro Sul, Seu paió tava cheinho, De feijão e de andú, Sem contar com mais uns cobre, Lá no fundo baú,
  609. 609. Xaxado - Xaxado é dança macha Dos cabra de Lampião Xaxado, xaxado, xaxado Vem lá do sertão Xaxado, meu bem, xaxado Xaxado vem do sertão É dança dos cangaceiros Dos cabras de Lampião Quan
  610. 610. Xêem - Eu vou contar uma história Que se deu lá em Belém De uma veia farrista Que nunca amou ninguém E nesse vai e vem E nesse vem e vem Um dia gostou de um veio Caíram no xêem Xêem, xêem
  611. 611. Xengo - Xengo olha a barra Grela, chumbo só O céu ta mais Bem que mimosa Meu Deus, num é que os dois Vão dar cria juntinho Xengo, olha te ajoelha Filho beija o pó Afaga esta nesga de terra
  612. 612. Xô Pavão - Xô, xô pavão Sai de cima do telhado E deixe o nenenzinho Dormir bem sossegado..................bis Assim cantava Na hora do terço Minha mãezinha Aos pés do meu berço Oh! Mãe querid
  613. 613. Xote Das Meninas - Mandacaru Quando fulora na seca É o siná que a chuva chega No sertão Toda menina que enjôa Da boneca É siná que o amor Já chegou no coração... Meia comprida Não quer mais sapato
  614. 614. Xote Das Moças - Menina vem pro meu coração Tu já estais moça Rosa feita, em botão, vem Sou o doutor que te examina Quero o teu amor Para cumprir a minha sina Mas a menina Que queria namorar Agora
  615. 615. Xote do Saiote - Saiote não, saiote não Homem de saiote Meu amigo., essa não Saiote não, saiote não Homem de saiote É desmoralização O homem pode Andar todo apertado Cabeludo, assanhado Quer eu n
  616. 616. Xote do Saoite - Saiote não, saiote não Homem de saiote Meu amigo., essa não Saiote não, saiote não Homem de saiote É desmoralização O homem pode Andar todo apertado Cabeludo, assanhado Quer eu n
  617. 617. Xote do Véio - Eu vou casá, ai Casá eu vou Com mulher moça Que me chame de vovô Reconheço que sou véio Reconheço E reconheço Que n um tô na frô da idade Mas porém meu coração Inda é bem jovem
  618. 618. Xote Dos Cabeludos - Cabra do cabelo grande Cinturinha de pilão Calça justa bem cintada Custeleta bem fechada Salto alto, fivelão Cabra que usa pulseira No pescoço medalhão Cabra com esse jeitinho No sert
  619. 619. Xote Machucador - Eita! Xote veio machucador Veio machucador Que tanta coisa faz lembrar, ai, ai Ela aí dançando E eu sentindo o cheiro dela, ai, ai Tanto que eu quero andar direito Mas o velho peito Nun
  620. 620. Zé Budega - Eu vou dá um pulo Na casa de Zé Budega Prá’quele fio de uma égua Me dá minha concertina Que as meninas tão querendo se espalhar No salão escorregar Até ficar de perna fina Vou reclamar
  621. 621. Zé Dantas - O nordeste inteirinho ta chorando Sertanejo também entristeceu Foi embora o poeta nordestino Foi cumprir o seu destino Traçado por nosso Deus Foi Zé Dantas O poeta do povo Os seus ve
  622. 622. Zé Matuto - Zé matuto foi a praia só pra ver como é que é mas voltou ruim da bola de ver tanta rabichola nas cadeiras das muié Zé matuto matutou matutou escreveu pra Clodovil ele logo respostou
x

Conte para seus amigos as músicas que você curte

FECHAR

Playlist atualizada com sucesso!

Os programas existentes nesta playlist não podem ser salvos.

Apagar Todas
Comunicar erro

Sua senha é secreta. Nenhum funcionário do UOL está autorizado a solicitá-la.

© 1996-2013 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados. Hospedagem: UOL Host