Letras / letra L / Lenine

  1. 1. A Balada Do Cachorro Louco (Fere Rente) - Eu não alimento nada duvidoso Eu não dou de comer a cachorro raivoso Eu não morro de raiva Eu não mordo no nervo dormente Eu posso até não achar o seu coração E talvez esquecer o porquê da mis
  2. 2. a Flor E O Espinho - Tire o seu sorriso do caminho Que eu quero passar com a minha dor Hoje pra você eu sou espinho Espinho não machuca a flor Eu so errei quando juntei minh'alma a sua O sol não pode viver pert
  3. 3. A Gandaia Das Ondas - É bonito se ver Na beira da praia, A gandaia Das ondas que o barco balança. Batendo na areia, Molhando os cocares Dos coqueiros, Como guerreiros na dança. Ó! Quem não viu, vá ver, A
  4. 4. A Mancha - A mancha vem comendo pela beira O óleo já tomou a cabeceira do rio E avança A mancha que vazou do casco do navio Colando as asas da ave praieira A mancha vem vindo Vem mais rápido que lan
  5. 5. À Margem - Quem aperta? Quem afrouxa? Quem acocha? Quem alerta? Os velhos jogando bocha Uma lourinha gelada Na birosca do Tião A cena é bem carioca Na bateria da escola Um surdo na marcação D
  6. 6. a Medida Da Paixão - É como se a gente não soubesse Pra que lado foi a vida Por que tanta solidão E não é a dor que me entristece É não ter uma saida Nem medida na paixão Foi, o amor se foi perdido Foi tão distr
  7. 7. A Medida da Paixão (feat. Richard Boná) - É como se a gente não soubesse Pra que lado foi a vida Por que tanta solidão E não é a dor que me entristece É não ter uma saida Nem medida na paixão Foi, o amor se foi perdido Foi tão distr
  8. 8. A Mula Sem Cabeça - Saiu de madrugada Os cascos na calçada Quem tava adormecida, escutou Na noite enluarada Cruzou em disparada O lago onde a sereia se banhou Correu a noite inteira Ergueu tanta poeira Perdeu-se nos cami
  9. 9. a Ponte - Como é que faz pra lavar a roupa? Vai na fonte, vai na fonte Como é que faz pra raiar o dia? No horizonte, no horizonte Este lugar é uma maravilha Mas como é que faz pra sair da ilha? Pel
  10. 10. A Ponte (feat. Gog) - Como é que faz pra lavar a roupa? Vai na fonte, vai na fonte Como é que faz pra raiar o dia? No horizonte, no horizonte Este lugar é uma maravilha Mas como é que faz pra sair da ilha? Pela ponte, pela
  11. 11. A Rede - Nenhum aquário é maior do que o mar Mas o mar espelhado em seus olhos Maior, me causa um efeito De concha no ouvido, barulho de mar Pipoco de onda, ribombo de espuma e sal Nenhuma taça m
  12. 12. a Rede - Nenhum aquário é maior do que o mar Mas o mar espelhado em seus olhos Maior, me causa um efeito De concha no ouvido, barulho de mar Pipoco de onda, ribombo de espuma e sal Nenhuma taça m
  13. 13. A Vida do Viajante - Minha vida é andar por este país Pra ver se um dia descanso feliz Guardando a recordação Das terras onde passei Andando pelos sertões e dos amigos que lá deixei. Chuva e sol, poeira e carv
  14. 14. A Visão De Krishna Na Forma Universal - Ó meu senhor de poderosos braços Todos os mundos e o seus semi-deuses Vendo teus braços, teus rostos, teus olhos, teus ventres, tuas cochas, teus dentes terríveis Se apavoraÂ… Eu tambémÂ… Q
  15. 15. Aboio Avoado - Era um delírio danado De queimar as pestanas dos olhos Um tremor batendo no peito E esse adeus que tem gosto de terra Ah! Meu amor! Não se entregue sem mim Ah! Meu amor! Eu só quero
  16. 16. Acredite Ou Não - Deu raposa na cabeça Deu bicho no pé do samba Deu federa na muamba Deu surfista na central Deu entulho no canal E no jornal deu a notícia Que no cofre da polícia Muita prova se escondeu
  17. 17. Agora É que São Elas - Belas, singelas, donzelas Sem elas o mundo não vai pra nenhum lugar Santas, rainhas, meninas Com elas o mundo aprendeu a girar Do mistério à criação Do desejo à compaixão Elas Agora é que sã
  18. 18. Agora É Que São Elas (Essas Mulheres Fantásticas E Seus Rebentos Maravilhosos) - Belas, singelas, donzelas Sem elas o mundo não vai pra nenhum lugar Santas, rainhas, meninas Com elas o mundo aprendeu a girar Do mistério à criação Do desejo à compaixão Elas Agora é que sã
  19. 19. Alpinista Social - Apesar da idade ela nunca se cansa De entrar nessa dança e sair no jornal E tem sempre um plano por debaixo do pano Ela é a alpinista social Vira a noite no drink a pensar no over-night
  20. 20. Alzira E a Torre - Alzira bebendo vodka defronte da Torre Malakof Descobre que o chão do Recife afunda um milímetro a cada gole Alzira na Rua do Hospício, no meio do asfalto, fez um jardim Em que paraíso distante
  21. 21. Anna e eu - Andei pra chegar tão longe Daqui de longe eu olhei pra traz E foi como ver distante Eu atravessando os meus temporais Ouvi anna me chamando disse Se eu não fosse eu não ia mais Eu vi o que agent
  22. 22. Aquilo que Dá no Coração - Aquilo que dá no coração E nos joga nessa sinuca Que faz perder o ar e a razão E arrepia o pêlo da nuca Aquilo reage em cadeia Incendeia o corpo inteiro Faísca, risca, trisca, arrodeia Dispara
  23. 23. As Raposas e as Uvas - Lembro com muita saudade Daquele bailinho Onde a gente dançava Bem agarradinho Onde a gente ía mesmo É prá se abraçar Você com laquê no cabelo E um vestido rodado E aquelas anáguas Com tan
  24. 24. As Voltas Que O Mundo Dá - Ele paga qualquer preço Pra ser o numero um Vive a vida pelo avesso Veio de lugar nenhum Trovoada deu no céu Nos olhos da cascavel A vingança é mais comum Ele sabe dos atalhos Nas
  25. 25. Atirador - ATIRE A PRIMEIRA ATIRE A SEGUNDA YÁ YÁ ATÉ DESCARREGAR O TAMBOR ATÉ APAGAR A LUZ DE YÔ YÔ ATÉ NUNCA MAIS JÁ VINGOU. ATIRADOR QUANDO COMPRA VINGANÇA ALHEIA. TEM QUE TER VENENO NA VEIA TEM QUE SABER AN
  26. 26. Bebete Vambora - Bebete Vãobora! Que está na hora Bebete Vãobora! Yeh! yeh! Que está na hora Bebete Vãobora! Eh! Que está na hora Bebete Vãobora! Que está na hora... Olha que o sol vai sair B
  27. 27. Brejo Da Cruz - A novidade Que tem no Brejo da Cruz É a criançada Se alimentar de luz Alucinados Meninos ficando azuis E desencarnando Lá no Brejo da Cruz Eletrizados Cruzam os céus do Brasil Na
  28. 28. Bundalelê - Chegou, chegou... A nossa tribo é o tambor que acorda o carnaval bebeu, sorriu, cantou... e organizou o cartel do alto-astral você que nada e não morre na praia você que é da gandaia, me di
  29. 29. Cambaio - Eu quero moça que me deixe perdido Procuro moça que me deixe pasmado Essa moça zoando na minha idéia Eu quero moça que me deixe zarolho Procuro moça que me deixe cambaio Me fervendo na veia
  30. 30. Candeeiro Encantado - Lá no sertão cabra macho não ajoelha, nem faz parelha com quem é de traição, puxa o facão, risca o chão que sai centelha, porque tem vez que só mesmo a lei do cão. è lamp, é lamp, é lamp..
  31. 31. Caribantu - Bate tantã, tambor Bate pé no andor Vamos bater perna Vamos bota mais fé É ou então não é Que a vida é eterna Vamos batê cabeça Mexer cabaça Sonar no oco do babaçu Luz pra quem bebe
  32. 32. Caribenha Nação - Lá Onde o mar bebe o Capibaribe Coroado leão Caribenha nação Longe do Caribe. Tuaregue Nagô É a festa dos negros coroados Num batuque que abala o firmamento; É a sombra dos séc
  33. 33. Caribenha Nação / Tuareguê Nagô - Lá Onde o mar bebe o Capibaribe Coroado leão Caribenha nação Longe do Caribe É a festa dos negros coroados Num batuque que abala o firmamento É a sombra dos séculos guardados É o rosto do girasol dos
  34. 34. casinha de sapé - Na beleza do teu sorriso Na paz do teu lindo olhar Me vejo no paraíso Onde nele a lei é amar E na ânsia de ter você Esqueço do mundo lá fora E numa casinha de sapé Nosso amor é infinito e não
  35. 35. Certas Coisas - Não existiria som Se não Houvesse o silêncio Não haveria luz Se não Fosse a escuridão A vida é mesmo assim Dia e noite, não e sim... Cada voz que canta O amor não diz Tudo o qu
  36. 36. Ciranda Praieira - De toda terra em que anda O mar só dança ciranda Na ilha de itamaracá E quando o mar cirandeia Eu cirandeio na areia Eu cirandeio no mar Achei na praia um marisco Com a letra do n
  37. 37. Comício - De farda nova, em cima de um caminhão A banda toca um dobrado de fundo O clarinete brilhando na minha mão E o deputado com a boca no mundo O povo olhando os foguetes As flores de fogo no
  38. 38. Como É Bom a Gente Amar - Ai, como é bom a gente amar Quando tem jeito pra dar Um amor firme a você Ah, tua face mimosa Os teus lábios cor de rosa Teu olhar me seduziu
  39. 39. Como é bom a gente amar - Ai, como é bom a gente amar Quando tem jeito pra dar Um amor firme a você Ah, tua face mimosa Os teus lábios cor de rosa Teu olhar me seduziu
  40. 40. Conflitos - O coração diz que ama A mente reclama: não sabe o que quer Num dia te beijo a boca É minha mulher Noutro te deixo louca por fazer o que não quer Num dia é boca, é pele, é paixão Noutro é
  41. 41. Continuação - O contra o encontro a contração A era o eros a erosão A fera a fúria o furacão O como o cosmo a comunhão A comunhão O pré a prece a procissão O pós o póstumo a possessão A cor a cor
  42. 42. Crença - Eu só penso em você Depois que eu penso em mim E eu penso tanto em nós dois Sei que é de cada um E acho até comum Pensar assim de nós dois Vai que a gente pensa igual E acho isso nor
  43. 43. De Sabugo a Visconde - Milho verde virou mungunzá Do sabugo virei visconde Quem já leu minha história aprendeu Quem não leu vai perder o bonde Eu sou milho de boa linhagem Cultura e bagagem pra dar e vender
  44. 44. De Sabugo Visconde - Milho verde virou mungunzá Do sabugo virei visconde Quem já leu minha história aprendeu Quem não leu vai perder o bonde Eu sou milho de boa linhagem Cultura e bagagem pra dar e vender
  45. 45. Distante Demais - Somos Somente a fotografia Dois navegantes perdidos no cais Distantes demais Somos instantes, palavras, poesia Dois delirantes ficando reais Distantes demais Noites de sol, loucos de amar Quem
  46. 46. Diversidade - Se foi pra diferenciar Que Deus criou a diferença Que irá nos aproximar Intuir o que ele pensa Se cada ser é só um E cada um com sua crença Tudo é raro, nada é comum Diversidade é a sentença Que seri
  47. 47. Do It - Ta cansada senta Se acredita tenta Se tá frio esquenta Se tá fora entra Se pediu agüenta Se sujou cai fora Se da pé namora Ta doendo chora Ta caindo escora Não tá bom melhora
  48. 48. Do It - Ta cansada senta Se acredita tenta Se tá frio esquenta Se tá fora entra Se pediu agüenta Se sujou cai fora Se da pé namora Ta doendo chora Ta caindo escora Não tá bom melhora
  49. 49. Do it - Ta cansada senta Se acredita tenta Se tá frio esquenta Se tá fora entra Se pediu agüenta Se sujou cai fora Se da pé namora Ta doendo chora Ta caindo escora Não tá bom melhora
  50. 50. Dois Olhos Negros - A curiosidade de saber O que me prende? O que me paralisa? Serão dois olhos negros como os teus Que me farão cruzar a divisa? É como se eu fosse prum Vietnã Lutar por algo que não será meu A
  51. 51. Dois Olhos Negros (feat. Iggor cavalera) - A curiosidade de saber O que me prende? O que me paralisa? Serão dois olhos negros como os teus Que me farão cruzar a divisa? É como se eu fosse prum Vietnã Lutar por algo que não será meu A
  52. 52. É Doce Morrer No Mar - É doce morrer no mar Nas ondas verdes do mar A noite que ele não veio, foi Foi de tristeza pra mim Saveiro voltou sozinho Triste noite foi pra mim É doce… Saveiro partiu de noi
  53. 53. É Fogo - Éramos uma pá de apocalípticos, De meros hippies, com um falso alarme... Economistas, médicos, políticos Apenas nos tratavam com escárnio. Nossas visões se revelaram válidas, E eles se c
  54. 54. É O Que Me Interessa - Daqui desse momento Do meu olhar pra fora O mundo é só miragem A sombra do futuro A sobra do passado A sombra é uma paisagem Quem vai virar o jogo e transformar a perda Em nossa recompe
  55. 55. É o Que me Interessa - Daqui desse momento Do meu olhar pra fora O mundo é só miragem A sombra do futuro A sobra do passado A sombra é uma paisagem Quem vai virar o jogo e transformar a perda Em nossa recompe
  56. 56. Ecos Do Ão - Rebenta na Febem rebelião um vem com um refém e um facão a mãe aflita grita logo: não! e gruda as mãos na grade do portão aqui no caos total do cu do mundo cão tal a pobreza, tal a podri
  57. 57. Embolada - Eu nasci na veneza Brasileira Eu sou da terra dos altos coqueiros Danço coco de janeiro a janeiro Foi painho e mainha que ensinou Sou o barro na mão do Vitalino Embolada do Jackson do pandeiro Eu sou
  58. 58. Encantamento - Rússia brazuca Brasa sivuca Baiões na neve Acordeonde Terras do longe Sertões Kiev Caymminino Singra sozinho O alto mar negro E os pescadores Versejadores Ouvem arpejos Arpões
  59. 59. Energia - Olha que eu conheço essa cara Você chegou de cima Vem comigo, toma a chave do meu coraçâo Que eu já entrei no clima Olha que eu conheço esse pique No seu teatro também quero ser atriz Dei
  60. 60. Escrúpulo - É muito além, é mais do que devia Excesso que dá de toda delicadeza Portanto, contudo, todavia, Toda vez você desvia o rumo do assunto E nunca que chega junto E nunca que chega ao centro da
  61. 61. Esperanças Perdidas - Quantas belezas deixadas nos cantos da vida Que ninguém quer e nem mesmo procura encontrar E quantos sonhos se tornam esperanças perdidas Que alguém deixou morrer sem nem mesmo tentar Minha belez
  62. 62. Essa Alegria - Essa Alegria é a guia Estrela guia do Carnaval A nossa tribo abre o dia Essa alegria é a barca Navega a barca no Carnaval A nossa tribo traz o vento Essa alegria é o pendão Nossa
  63. 63. Etnia Caduca - É o camaleão Diante do arco-íris Lambuzando de cores Os olhos da multidão. É como um caldeirão Misturando ritos e raças, É a missa da miscigenação. Um mameluco maluco Um m
  64. 64. Eu Acho Pouco - Refrão: Eu fui no baile do bloco do "eu acho é pouco" Foi muito louco, mamãe, eu acho é pouco Eu fui no baile do bloco do "eu acho é pouco" Foi muito louco, mamãe, eu acho é pouco Bloco
  65. 65. Eu Sou Meu Guia - Era um menino com o destino do mundo nas mãos Olhos no dilúvio e os dedos num violão Dançam cordilheiras, ondeando, ofegando no ar Roda, minha vida, se eu quiser posso abrir um mar E eu ir
  66. 66. Excesso, Excesso - O que se abre aberto Se aproxima perto Pra esvaziar o já deserto Desorienta o incerto Ruma sem trajeto Nunca existiu mas eu deleto Querer sem objeto Voz sem alfabeto Enchendo um
  67. 67. Excesso Exceto - O que se abre aberto Se aproxima perto Pra esvaziar o já deserto Desorienta o incerto Ruma sem trajeto Nunca existiu mas eu deleto Querer sem objeto Voz sem alfabeto Enchendo um corpo já repl
  68. 68. Flor - Meu bem meu menino Me dê o seu sorriso A sua gargalhada escancarada Me empreste seus pés morenos. Coberto de sol Veloz sobre o areal Em corrida descalça descarada Rei da praia
  69. 69. Gandaia Das Ondas / Pedra E Areia - É bonito se ver na beira da praia A gandaia das ondas que o barco balança Batendo na areia, molhando os cocares dos coqueiros Como guerreiros na dança Oooh, quem não viu vai ver A onda do m
  70. 70. Garotos - Seus olhos e seus olhares Milhares de tentações Meninas são tão mulheres Seus truques e confusões Se espalham pelos pêlos Boca e cabelo Peitos e poses e apelos Me agarram pelas p
  71. 71. Girassol da Caverna - Holofotes riscando a treva aberta Suicídio da luz no breu sem fim Iluminando tudo ao redor de mim Tenho o riso febril de quem se oferta Sou pedaço de terra descoberta Por um navegador
  72. 72. Hoje Eu Quero Sair Só - Se você quer me seguir Não é seguro Você não quer me trancar Num quarto escuro Às vezes parece até Que a gente deu um nó Hoje eu quero sair só Você não vai me acertar À queima-roupa Vem
  73. 73. Hoje Eu Quero Sair Só - Se você quer me seguir Não é seguro Você não quer me trancar Num quarto escuro Às vezes parece até Que a gente deu um nó Hoje eu quero sair só Você não vai me acertar À queima-roupa Vem
  74. 74. Hoje eu quero sair só - Se você quer me seguir Não é seguro Você não quer me trancar Num quarto escuro Às vezes parece até Que a gente deu um nó Hoje eu quero sair só Você não vai me acertar À queima-roupa Vem
  75. 75. Hoje Eu Só Quero Sair Só - Se você quer me seguir Não é seguro Você não quer me trancar Num quarto escuro Às vezes parece até Que a gente deu um nó Hoje eu quero sair só Você não vai me acertar À queima-roupa Vem
  76. 76. Jack Soul Brasileiro - Jack Soul Brasileiro E que o som do pandeiro É certeiro e tem direção Já que subi nesse ringue E o país do swing É o país da contradição Eu canto pro rei da levada Na lei da embolada Na língua da per
  77. 77. Lá e Cá - Mangueira, Ilê Aiê e viva o baticum Quando a Padre Miguel enconttra com Olodum Caymmi com Noel, em Tom maior Jobim A Penha, a Candelária, o Senhor do Bonfim Irmão São Salvador e São Sebast
  78. 78. Lá E Lô - Tanto faz se é pirata ou rei O reinado de um rei Nas mãos de um pirata de lei Se apaga Tanto faz se virou pirata A nau de um pirata Nas mãos de um rei de lata Se afoga Tanto faz
  79. 79. La Mancha - La mancha viene poco a poco por la orilla El fuel ya está en la cabecera del río Y avanza La mancha que se vertió del casco del navío Pegando las alas del ave de playa La mancha está llegan
  80. 80. Lá Vem a Cidade - Eu vim plantar meu castelo Naquela serra de lá, Onde daqui a cem anos Vai ser uma beira-mar... Vi a cidade passando, Rugindo, através de mim... Cada vida Era uma batida Dum imenso
  81. 81. Labiata - Daqui desse momento Do meu olhar pra fora O mundo é só miragem A sombra do futuro A sobra do passado A sombra uma paisagem Quem vai virar o jogo E transformar a perda Em nossa recomp
  82. 82. Lavadeira Do Rio - Ah! Lavadeira do rio Muito lençol pra lavar Fica faltando uma saia Quando o sabão se acabar Mas corra pra beira da praia Veja a espuma brilhar Ouça o barulho bravio Das ondas que batem
  83. 83. Leão Do Norte - Sou o coração do folclore nordestino Eu sou Mateus e Bastião do Boi Bumbá Sou o boneco do Mestre Vitalino Dançando uma ciranda em Itamaracá Eu sou um verso de Carlos Pena Filho Num fre
  84. 84. Maçã Do Rosto - Que é isso preta? Não faça isso nao, não, não, não, não. Esse seu chamego é bom demais para o meu coração. Me ame devagarinho Sem fazer nenhum esforço Tô doido por seu carinho Pra sent
  85. 85. Mago Valdivia - Ele é um verdadeiro craque com a bola nos pés joga no ataque o seu número é a camisa 10 Ele enlouquece todos seus adversários Quando domina a bola e dá chute no vácuo Ele resolve tudo com toque de ma
  86. 86. Magra - Moça Pernas de pinça Alta Corpo de lança Magra Olhos de corça Leve Toda cortiça Passa Como que nua Calma Finge que voa Brasa Chama na areia Bela Como eu queria Magra,
  87. 87. Mais Além - A leste das montanhas da nação Cherokee Um índio na motocicleta cruza o deserto Ao longe o cemitério onde dorme o pai, Mas ele sabe que seu pai não está ali, É mais além Mais além) A li
  88. 88. Maná - Alecrim, lavanda Cravo e benjoim Seiva do teu suor Perfuma o amor assim Denso com incenso De âmbar. Cambará E até no pensamento Somos um par Parecidos gomos Doce o teu limão E eu
  89. 89. Maracatu Silêncio - Lampiões carregados Porta estandarte, o rei e a rainha Os tambores quando batem Acorda o povo da Vila Maria Os cordões que invadem Os carnavais cheios de alegria Vou dançar no pá
  90. 90. Marco Marciano - Pelos auto-falantes do universo Vou louvar-vos aqui na minha lua Um trabalho que fiz noutro planeta Onde nave flutua e disco voa. Fiz meu marco no solo marciano Num deserto vermelho sem garoa Es
  91. 91. Martelo Bigorna - Muito do que eu faço Não penso, me lanço sem compromisso Vou no meu compasso Danço, não canso a ninguém cobiço Tudo o que eu te peço É por tudo que fiz e sei que mereço Posso e te confesso Você não sa
  92. 92. Martelo bigorna - Muito do que eu faço Não penso, me lanço sem compromisso Vou no meu compasso Danço, não canso a ninguém cobiço Tudo o que eu te peço É por tudo que fiz e sei que mereço Posso e te confesso Você não sa
  93. 93. Martelo, Bigorna - Muito do que eu faço Não penso, me lanço sem compromisso. Vou no meu compasso Danço, não canso a ninguém cobiço. Tudo o que eu te peço É por tudo que fiz e sei que mereço Posso, e te conf
  94. 94. Martelo Birgona - Muito do que eu faço Não penso, me lanço sem compromisso. Vou no meu compasso Danço, não canso a ninguém cobiço. Tudo o que eu te peço É por tudo que fiz e sei que mereço Posso, e te confesso.
  95. 95. Martillo, Bigornia - Mucho de lo que hago No lo pienso, me lanzo sin compromiso. Voy a mi ritmo Bailo, no me canso, a nadie deseo Todo lo que te pido Es por todo lo que hice y sé que merezco Puedo, y te lo co
  96. 96. Mero Detalhe - Não faz a menor diferença Se você concorda ou não Sou eu quem decide o que é certo Sou eu quem comanda a razão Eu armo e desarmo essa bomba E largo na sua mão Calculo a distância segur
  97. 97. Meu Amanhã - Ela é minha delicia O meu adorno Janela de retorno Uma viagem sideral Ela é minha festa Meu requinte A única ouvinte Da minha radio nacional Ela é minha sina O meu cinema A
  98. 98. Meu Plano - Meu plano era deixar você pensar o que quiser Meu plano era deixar você pensar Meu plano era deixar você falar o que quiser Meu plano era deixar você falar Coisas sen sentido, sem motivo, se
  99. 99. Miedo (feat. Julieta Venegas) - Tienen miedo del amor y no saber amar Tienen miedo de la sombra y miedo de la luz Tienen miedo de pedir y miedo de callar Miedo que da miedo do miedo que da Tienen miedo de subir e miedo de bajar Tie
  100. 100. Minha Cidade - Minha cidade menina dos olhos do mar dos rios que levam meu coração do sol que começa a raiar é por você que eu peço na minha loa por essa gente tão boa abre um sorriso e canta
  101. 101. Minha Cidade – Menina dos Olhos do Mar - Minha cidade Menina dos olhos do mar Dos rios que levam meu coração Do sol que começa a raiar É por você que eu peço na minha loa Por essa gente tão boa Abre um sorriso e canta Minha cidade
  102. 102. Miragem Do Porto - Eu sou aquele navio no mar sem rumo e sem dono. Tenho a miragem do porto pra reconfortar meu sono, e flutuar sobre as águas da maré do abandono Ê lá no mar Eu vi uma maravilha. Vi o r
  103. 103. Mote Do Navio - Lá vem a barca Trazendo o povo Pra liberdade Que se conquista Venceu dragão do mar Lá vem a barca Venceu a tempestade Lá vem a barca Trouxe pra nossa casa A força da mocidade
  104. 104. Na Pressão - olho na pressão, tá fervendo olho na panela dinamite é o feijão cozinhando dentro do molho dela a bruxa acendeu o fogo se cuida, rapaziada tem mandinga de cabôco mandando nessas parada
  105. 105. Não Faz Mal a Ninguem - Ponta de inveja Um dedo de luxúria Olhada de guloso Não faz mal a ninguém Se ela quiser também, Hum! Se ela quiser também... Falsa preguiça Ira de mentira Porque guardar prá si T
  106. 106. Não Faz Mal a Ninguém - Ponta de inveja Um dedo de luxúria Olhada de guloso Não faz mal a ninguém Se ela quiser também, Hum! Se ela quiser também... Falsa preguiça Ira de mentira Porque guardar prá si T
  107. 107. Naturalmente - Ter nada, nada para Ter Ter cada estrada para andar Andar em cada para ser Ter cada é nada para dar Ser gargalhada para rir Ser a palavra para dar Ser serenata para ouvir Se ser é nada
  108. 108. Nem O Sol, Nem a Lua, Nem Eu - Hoje eu encontrei a Lua Antes dela me encontrar Me lancei pelas estrelas E brilhei no seu lugar Derramei minha saudade E a cidade se acendeu Por descuido ou por maldade Você não aparece
  109. 109. Nem Sol, Nem Lua, Nem Eu - Hoje eu encontrei a Lua Antes dela me encontrar Me lancei pelas estrelas E brilhei no seu lugar Derramei minha saudade E a cidade se acendeu Por descuido ou por maldade Você não apareceu Hoje eu acor
  110. 110. Ninguém faz idéia - Malucos e donas de casa Vocês aí na porta do bar os cães sem dono, os boiadeiros as putas Babalorixás Os genios, os caminhoneiros Os sem terra e sem teto, atores, maestros, djs os Unde
  111. 111. No Pano Da Jangada - Ningém me contou Foi meu mano que viu na marujada Meu amor botou O meu nome no pano da jangada O meu carretel de linha Ta guardado na gaveta Venho lá de alagoinha Linha branca e linha
  112. 112. O Abraço E a Lágrima - Ah como ser tanta emoção Na harmonia do abraço E ser somente esse abraço Num continente de afeto O corpo completo sente Que repleto não se cabe É o coração em despejo É a lágrima em seu
  113. 113. O Amanhã - A cigana leu o meu destino Eu sonhei Bola de cristal, jogo de búzios, cartomante Eu sempre perguntei O que será o amanhã Como vai ser o meu destino Já desfolhei o mal-me-quer
  114. 114. O Atirador - Atire a primeira Atire a segunda, iaiá Até descarregar o tambor Até apagar a luz de ioiô Até nunca mais, já vingou. Atirador, quando compra vingança alheia Tem que ter veneno na veia
  115. 115. O canto da ema - A ema gemeu no tronco do juremar A ema gemeu no tronco do juremar Foi um sinal bem triste, morena Fiquei a imaginar Será que é o nosso amor, morena Que vai se acabar? (2X) Você bem sabe, que
  116. 116. O Céu é Muito - O céu é muito Para o sol Alcança só O que gravita O tempo é longo Pra quem fica A terra gira Pra nós dois Um ano é pouco Pra depois O mundo é largo Pra quem fita
  117. 117. O Curupira Pirou - O curupira pirou na cor da branca de neve Daí o curupira pisou de neve O curupira parou e se ligou na branquinha Surrupiou a desbotada da fada e da carochinha Foi paixão à primeira vista
  118. 118. O Dia Em Que Faremos Contato - A nave quando desceu, desceu no morro Ficou da meia-noite ao meio-dia Saiu, deixou uma gente Tão igual e diferente Falava e todo mundo entendia Os homens se perguntaram Por que não des
  119. 119. O Homem Dos Olhos De Raio X - Quando você piscou por mim o aroma Me despertou de um estado de coma Quando você partiu pra mim o embaraço Deu ferrugem nos meus nervos de aço Meus olhos de raio x cegaram de medo, é...
  120. 120. O Homem dos Olhos de Raio X - Quando você piscou por mim o aroma Me despertou de um estado de coma Quando você partiu pra mim o embaraço Deu ferrugem nos meus nervos de aço Meus olhos de raio x cegaram de medo, é...
  121. 121. O Marco Marciano - Pelos auto falantes do universo vou louvar-vos aqui na minha lua Um trabalho que fiz noutro planeta Onde nave flutua e disco voa Fiz meu Marco num solo Marciano num deserto vermelho Sem gar
  122. 122. O Marco Marciano - Pelos auto falantes do universo vou louvar-vos aqui na minha lua Um trabalho que fiz noutro planeta Onde nave flutua e disco voa Fiz meu Marco num solo Marciano num deserto vermelho Sem gar
  123. 123. O Mundo - O mundo é pequeno prá caramba Tem alemão, italiano, italiana O mundo, filé à milaneza Tem coreano, japonês, japoneza... O mundo é uma salada russa Tem nêgo da Pérsia Tem nêgo da Prússi
  124. 124. O Que É Bonito - O que é bonito É o que persegue o infinito Mas eu não sou Eu não sou, não... Eu gosto é do inacabado O imperfeito, o estragado que dançou O que dançou... Eu quero mais erosão Menos gr
  125. 125. O Que Você Faria? - Meu amor o que você faria? Se só te restasse um dia Se O mundo fosse acabar Me diz o que você faria? Ia manter sua agenda de almoço hora apatia Ou ia esperar os seus amigos Na sua sa
  126. 126. O Ronco da Cuíca - Roncou, roncou Roncou de raiva A cuíca Roncou de fome Alguém mandou Mandou parar a cuíca É coisa dos home A raiva dá pra parar Pra interromper A fome não dá Pra interromper
  127. 127. O Silêncio Das Estrelas - Solidão o silêncio das estrelas A ilusão,eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos Como um Deus e amanheço mortal.E assim repetindo os mesmos erros, doí em mim, vê Que toda essa procura não tem fim,
  128. 128. O último pôr do sol - A onda ainda quebra na praia, Espumas se misturam com o vento. No dia em que você foi embora, Eu fiquei sentindo saudades do que não foi Lembrando até do que eu não vivi pensando nós dois No dia em
  129. 129. O Último Pôr do Sol (feat. Victor Astorga) - A onda ainda quebra na praia Espumas se misturam com o vento No dia em que ocê foi embora, Eu fiquei sentindo saudades do que não foi Lembrando até do que eu não vivi Pensando nós dois Eu lem
  130. 130. Oia O Rapa - Tremenda correria Some com a mercadoria Sujou, sujou, sujou, rapaziada É penalty, é penalty Os homens tão na área Levaram, levaram Levaram na mão grande É grande, é grande, é grande
  131. 131. Olho De Peixe - Se na cabeça do homem tem um porão Onde moram o instinto e a repressão (diz aí) O que é que tem no sótão? permanentemente, preso ao presente o homem na redoma de vidro em raros instant
  132. 132. Paciência - Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma Até quando o corpo pede um pouco mais de alma A vida não para Enquanto o tempo acelera e pede pressa Eu me recuso faço hora vou na valsa A vida é tão
  133. 133. Paciência - Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma Até quando o corpo pede um pouco mais de alma A vida não para Enquanto o tempo acelera e pede pressa Eu me recuso faço hora vou na valsa A vida é tão
  134. 134. Paciência (feat. Cristina braga) - Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma Até quando o corpo pede um pouco mais de alma A vida não para Enquanto o tempo acelera e pede pressa Eu me recuso faço hora vou na valsa A vida é tão
  135. 135. Paixão Passageira - Eu te pedi pra você ficar Você me disse não Eu me perdi e fui te procurar Em nome da paixão E agora vem você dizer Que eu não fiz por merecer Tudo que eu fiz Eu fiz por você Não te
  136. 136. Pare de Encher - Pare de querer que eu vá, já que você não vem Pare de pedir que eu dê o que você já tem Pare de querer mudar o que transcorre bem Pare de falar de mim Pare de espetar, de se meter, de dissecar P
  137. 137. Pavio do Destino - O bandido e o mocinho São os dois do mesmo ninho Correm nos estreitos trilhos Lá do morro dos aflitos Na Favela do Esqueleto São filhos do primo pobre A parcela do silêncio Que encobre todos o
  138. 138. Pedra E Areia - Olha! Que brisa é essa Que atravessa a imensidão do mar? Rezo Paguei promessa E fui a pé daqui até Dakar Praia, pedra e areia Boto e sereia, os olhos de Iemanjá Água! Mágoa do mundo
  139. 139. Pernambuco Falando Para O Mundo (Pot-Pourri) - Voltei, Recife Foi a saudade que me trouxe pelo braço Quero ver novamente vassouras na rua abafando Tomar umas e outras, e cair no passo Eu fui na Praia do Janga Pra ver a ciranda E o seu ci
  140. 140. Prova De Fogo - Tem fogueira no arraial Tem balão rasgando no céu São João Toda gente se anima Prá dançar no calor do baião Treme terra Vira noite Rompeu clarão Mas a quadrilha toda se arma Cachaça, bacamarte, alegri
  141. 141. Quadro-Negro - No sub-imundo mundo sub-humano Aos montes, sob as pontes, sob o sol Sem ar, sem horizonte, no infortúnio Sem luz no fim do túnel, sem farol Sem-terra se transformam em sem-teto Pivetes logo se t
  142. 142. Quatro Horizontes - É que no fim da estrada Eu vejo quatro horizontes Há mar Há montes de histórias Mistérios Sedes distintas Aquilo que te sacia Pra mim é um três por quatro O que retrata meu medo Pra você não tem segre
  143. 143. Que Baque É Esse? - Ô Nega, que baque é esse? Chegou pra me baquear. Nega, tu não se avexe, Meu corpo remexe Sem se perguntar: Por quê? Nega que baque é esse? Ninguém pode me ajudar Só mesmo com v
  144. 144. Quem? (Part. Lenine) - Quem vai gritar primeiro? Quem? O grito que afrouxa em desespero O peito que parte à voz do trovão Quem vai cuidar do fogo? Quem? A alma que dança na chama trina Há queima dos poros, devastação Quem
  145. 145. Queria Ser Uma Lagarta - Deus queira que na próxima reencarnação Eu venha lagarta Só pra comer Todas as folhinhas da mata Ser a lagarta E morar na Jamaica Ser a taturana do jardim do Bob Marley Só pra co
  146. 146. Raoni - Raoni Coração Amazonas Bate tambor tupi Cabeça de branco, peão Rola no chão Guarani Uadê! Uadê! Tchucarramãe Clarão de Fogo A manhã é vermelha No céu Xingu
  147. 147. Relampiano - Tá relampiano, cadê neném? Tá vendendo drops no sinal pra alguém Tá relampiano, cadê neném? Tá vendendo drops no sinal pra alguém Tá vendendo drops no sinal... Todo dia é dia, toda hora
  148. 148. Relampiano - Tá relampiano, cadê neném? Tá vendendo drops no sinal pra alguém Tá relampiano, cadê neném? Tá vendendo drops no sinal pra alguém Tá vendendo drops no sinal... Todo dia é dia, toda hora
  149. 149. Relampiano - Tá relampiano, cadê neném? Tá vendendo drops no sinal pra alguém Tá relampiano, cadê neném? Tá vendendo drops no sinal pra alguém Tá vendendo drops no sinal... Todo dia é dia, toda hora
  150. 150. Rita - A lavadeira do rio Muito lençol pra lavar Fica faltando uma saia Quando o sabão se acabar Mas corra pra beira da praia Veja a espuma brilhar Ouça o barulho bravio das ondas Que batem
  151. 151. Rosebud - Dolores, dólares O verbo saiu com os amigos Pra bater um papo na esquina A verba pagava as despesas Porque ela era tudo o que ele tinha O verbo não soube explicar depois Porque foi que a verb
  152. 152. Rosebud (O Verbo E A Verba) - Composição: Lenine / Lula Queiroga Dolores, dólares... O verbo saiu com os amigos pra bater um papo na esquina, A verba pagava as despesas, porque ela era tudo o que ele tinha. O verbo não soube exp
  153. 153. Rosebud (version Inedité) - Dolores, dólares O verbo saiu com os amigos Pra bater um papo na esquina A verba pagava as despesas Porque ela era tudo o que ele tinha O verbo não soube explicar depois Porque foi que a verb
  154. 154. Rua da Passagem - Os curiosos atrapalham o trânsito Gentileza é fundamental Não adianta esquentar a cabeça Não precisa avançar no sinal Dando seta pra mudar de pista Ou pra entrar na transversal P
  155. 155. Rua Da Passagem (trânsito) - Os curiosos atrapalham o trânsito Gentileza é fundamental Não adianta esquentar a cabeça Não precisa avançar no sinal Dando seta pra mudar de pista Ou pra entrar na transversal Pisca alerta pra enc
  156. 156. Samba do Arnesto - O Arnesto nos convidou pra um samba, ele mora no Brás Nós fumos não encontremos ninguém Nós voltermos com uma baita de uma reiva Da outra vez nós num vai mais Nós não semos tatu! No outro dia en
  157. 157. Samba Do Quilombo - Saiu do congo num navio negreiro Baixou no litoral Batuque banzo no chão do terreiro Pra suportar o mal Correu, fugiu, sofreu, sumiu e subiu o morro E o horizonte era o fundo do quintal.
  158. 158. Samba e Leveza - Foi na leveza Só sentimento E me entregou suas palavras Como quem dava um pedaço Delicadeza foi Disse ao meu coração E ela me deu a intenção Do samba que eu não fiz Ô, sambá É o
  159. 159. Samba Escrachado - O meu samba escancarou No quebra-quebra Saiu do compasso E desandou Ta sem escola Sem passarela Sem diploma de embaixador É! É tão escrachado Que vai dar uma canja Numa banda de jaz
  160. 160. Santana - A santa de Santana chorou sangue Chorou sangue, Chorou sangue, era tinta vermelha A nossa santa padroeira chorou sangue Chorou sangue Chorou sangue, era Deus e beleza, Despego meu; Quem
  161. 161. Sentimental - Quem liberta o furacão Desamarra o mar da praia Desarrumar o rumo entorta o pumo erra sem destino amor quem desata o céu da terra desfera fecha rasga o ar Tira a luz da treva razão a terra é de
  162. 162. Só No Balanço Do Mar - Já naveguei maremoto e calmaria No meio-dia tapeia a luz do sol Incendiei o mar da melancolia Pra pescar tua alegria Fui a isca e o anzol A minha nau capitã dos meus amores Em cada porto
  163. 163. Sob o Mesmo Céu - Brasil, Com quantos Brasis se faz um Brasil? Com quantos Brasis se faz um país chamado Brasil? Sob o mesmo céu Cada cidade é uma aldeia, uma pessoa, Um sonho, uma nação. Sob o mesmo c
  164. 164. Sonhei - Sonhei e fui, sinais de sim, Amor sem fim, céu de capim, E eu olhando a vida olhar pra mim. Sonhei e fui, mar de cristal, Sol, água e sal, meu ancestral, E eu tão singular me vi plural.
  165. 165. Sonhei Que Estava Em Pernambuco - Sonhei que estava em Pernambuco Fiquei maluco Quando o frevo passou Mas, quando estava no melhor da festa Ora, esta alguém me despertou Quando acordei Ai, ai Até chorei Ai, ai Tu
  166. 166. Suíte do Pescador - Minha jangada vai sair pro mar Vou trabalhar, meu bem querer Se Deus quiser quando eu voltar do mar Um peixe bom eu vou trazer Meus companheiros também vão voltar E a Deus do céu vamos a
  167. 167. Templo - Se você olha pra mim Se me dá atenção Eu me derreto suave Neve no vulcão Se você toca em mim Alaúde emoção Eu me desmancho suave Nuvem no avião Himalaia himeneu Esse homem nú sou eu Olhos d
  168. 168. Todas elas juntas num só ser - Não canto mais Babete nem Domingas Nem Xica nem Tereza, de Ben jor; Nem Drão nem Flora, do baiano Gil; Nem Ana nem Luiza, do maior; Já não homenajeio Januária, Joana, Ana, Bárbara,
  169. 169. Todos os caminhos - Eu já me perguntei se o tempo poderá realizar meus sonhos e desejos, será que eu já não sei por onde procurar ou todos os caminhos dão no mesmo e o certo é que eu não sei o que virá só posso te pedir
  170. 170. Toma Lá, Dá Cá - Tu entra cajá E sai caqui Casamento hoje É isso aí Toma lá, dá cá E no rola-rola Embola O que há aí e aqui É de Copacabana E o sonho de tocar aí Vivendo e dançando Dois pra l
  171. 171. Trégua Suspensa - Depois que você virou visita A quem se deve tanta honra Essa chegada sem convite algum Abro a porta e dou de cara Com essa cara de menino cínico Sabendo que eu sofro do coração Pode sentar, pod
  172. 172. Trem Fantasma - Vem na viração de longa espera Vem como se fosse uma aflição Vem e a alegra prolifera Vamos no trem Descarrilhando na rota normal Todos acenam e acende a emoção Quase esquecemos na beira dos tr
  173. 173. Tuaregue E Nagô - É a festa dos negros coroados No batuque que abala o firmamento É a sombra dos séculos guardados É o rosto do girassol dos ventos É a chuva, o roncar de cachoeiras Na floresta onde o
  174. 174. Tubi Tupy - Eu sou feito de restos de estrelas Como o corvo, o carvalho e o carvão As sementes nasceram das cinzas De uma delas depois da explosão Sou o índio da estrela veloz e brilhante O que é forte
  175. 175. Tudo Por Acaso - Eu sei! Tudo por acaso Tudo por atraso Mera distração... Eu sei! Por impaciência Por obediência Pura intuição... Qualquer dia Qualquer hora Tempo e dimensão O futuro foi a
  176. 176. Tudo por Acaso - Eu sei! Tudo por acaso Tudo por atraso Mera distração... Eu sei! Por impaciência Por obediência Pura intuição... Qualquer dia Qualquer hora Tempo e dimensão O futuro foi a
  177. 177. Um Carro De Boi Dourado - Um carro de boi dourado Surgiu na estrada gemendo Gemendo um doce gemido Vozes vêm seguindo som Bois elegantes puxando Rodas de luzes piscando Um carro de boi neon Um carro de boi n
  178. 178. Umbigo - Umbigo meu nome é umbigo Gosto muito de conversar comigo Umbigo meu nome é espelho Não dou ouvidos nem peço conselhos Umbigo meu nome é certeza Só é real o que convém a realeza Umbigo meu nome é verda
  179. 179. Vida De Viajante - Minha vida é andar Por esse país Pra ver se um dia Descanso feliz Guardando as recordações Das terras onde passei Andando pelos sertões E dos amigos que lá deixei Chuva e s
  180. 180. Vieste - Vieste Na hora exata, com ares de festa E luas de prata Vieste Com encantos, vieste, com beijos silvestres Colhidos pra mim Vieste Com a Natureza, com as mãos camponesas Plantadas e
  181. 181. Virou areia - Cadê a esfinge de pedra que ficava ali Virou areia Cadê a floresta que o mar já avistou dali Virou areia Cadê a mulher que esperava o pescador Virou areia Cadê o castelo onde um dia já d
  182. 182. Vivo - Precário, provisório, perecível Falível, transitório, transitivo Efêmero, fugaz e passageiro Eis aqui um vivo Impuro, imperfeito, impermanente Incerto, incompleto, inconstante Instável, variável, de
  183. 183. Wave - Vou te contar os olhos já não podem ver Coisas que só o coração pode entender Fundamental é mesmo o amor é impossível ser feliz sozinho O resto é mar, é tudo que eu não sei contar São cois

Conte para seus amigos as músicas que você curte

FECHAR

Playlist atualizada com sucesso!

Os programas existentes nesta playlist não podem ser salvos.

Apagar Todas
Comunicar erro

Sua senha é secreta. Nenhum funcionário do UOL está autorizado a solicitá-la.

© 1996-2013 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados. Hospedagem: UOL Host